O inquérito que investiga o acidente em que se envolveu o ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho – e que resultou na morte de duas pessoas – foi prorrogado por mais 30 dias.

Ontem, o delegado da Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba (Dedetran), Armando Braga, pediu à 2.ª Vara de Delitos de Trânsito mais um mês de prazo para concluí-lo e a solicitação foi aceita pela promotora da vara, Danuza Nadal.

O delegado justificou o pedido pelo fato de que o laudo do local do acidente, que está sendo produzido pelo Instituto de Criminalística, ainda não ficou pronto. O documento, segundo ele, é fundamental para o inquérito.

O acidente aconteceu há exatos dois meses, entre as ruas Paulo Gorski e Ivo Zanlorenzi, no bairro Mossunguê, em Curitiba, e causou a morte dos jovens Gilmar Rafael Yared e Carlos Murilo de Almeida.

“Sempre que necessitamos de mais prazo, solicitamos. Isso é comum. Tudo está dentro do limite de tempo, pois o resultado do laudo deve demorar o tempo necessário para que os peritos cheguem a uma conclusão que não seja questionada. Queremos laudos precisos, não feitos com pressa”, afirmou o delegado.

Braga explicou ainda que a investigação do caso Carli Filho dependia basicamente de três fatores: o primeiro seriam os laudos de necropsia das vítimas, o que já existe; o segundo seria o interrogatório do indiciado, que também já está pronto, embora o ex-deputado tenha dito que não lembra de nada sobre o acidente, e o terceiro fator seria o laudo do local de morte, que está faltando.

O laudo do local da morte deve descrever como estavam os veículos e as vítimas depois do acidente e como era o ângulo de visão que cada condutor tinha do outro no dia da reconstituição do acidente, que aconteceu no dia 22 de junho, já foi possível sugerir que os dois motoristas não conseguiam se enxergar antes da colisão.

A velocidade do veículo do ex-deputado, um Passat Alemão, também será confirmada nesses laudos, embora uma perícia paralela realizada pela defesa da família de Yared já tenha apontado que o veículo trafegava na velocidade de 191,52 km/h.

O advogado da família de Yared, Elias Mattar Assad, afirmou ontem que o inquérito já possui todos os elementos para que o Ministério Público Estadual (MP) faça a denúncia contra o ex-deputado.

“Pode ser comum pedir a prorrogação quando o crime não é elucidado, mas nesse caso já temos todos os elementos para a denúncia”, criticou Assad. Por conta disso, o advogado marcou uma reunião para hoje, às 15h, com o diretor do Instituto de Criminalística do Paraná, Carlos Roberto Martins de Lima.

A intenção é solicitar a ele agilidade e prioridade na confecção dos laudos. Na ocasião, o advogado também pretende entregar ao diretor do instituto a perícia paralela que realizou no local do acidente. Carli Filho está se recuperando do acidente em Guarapuava, região centro-sul do Paraná, onde seu pai, Fernando Ribas Carli, é prefeito.