Uma quadrilha responsável pela prática de assaltos no bairro Uberaba foi presa por investigadores da Delegacia de Furtos e Roubos no início da semana. De acordo com o delegado Hormínio de Paula, responsável pelas investigações, os indivíduos estavam aterrorizando a região e inclusive um deles, na sua última ação chegou a apontar a arma para a cabeça de uma criança com pouco mais de um ano de idade para praticar o assalto. Foram presos Claudinei Aparecido Ribeiro, 25 anos, conhecido por “Fião”; José Marcos Alves de Oliveira, 30, Gelson Rocha, 28, Manoel Alves de Oliveira, 28, o “Ferrugem” e Ricardo Gonçalves, 25.

As diligências na tentativa de prender a quadrilha tiveram início após alguns destes indivíduos assaltarem uma residência na Rua Alvorada, às 23h30 do dia 12 de dezembro do ano passado. Na ocasião, dois homens armados com dois revólveres invadiram a casa e deram voz de assalto a um casal. O terceiro bandido ficou do lado de fora, dando cobertura.

Maria Creuza Elorde Garcia, 49 anos, proprietária da casa, estava doente e acamada, mas mesmo assim os ladrões não tiveram o mínimo de compaixão e agiram com violência. Para intimidar o casal, os indivíduos chegaram a atirar dentro da casa. Os disparos aumentaram o clima de tensão e Maria teve um ataque cardíaco, morrendo no local. Da casa foram levados uma televisão, aparelhos celulares e R$ 1.500,00 em dinheiro.

Outro

No final de semana, na Avenida do Canal, também no Uberaba, o alvo do grupo foi uma família com crianças pequenas. Desta vez para intimidar, “Fião” chegou a colocar o seu revólver na cabeça de uma criança. Foram levados eletrodomésticos da casa. Através de investigações a polícia conseguiu chegar aos nomes do envolvidos e começou a efetuar as prisões, que ocorreram na segunda-feira e ontem. De acordo com Hormínio, ainda será averiguado se os presos não possuem participações em outros assaltos. Com eles foi apreendido um revólver, calibre 38, e recuperada uma televisão roubada.

Mesmo reconhecidos pelas vítimas, três dos cinco presos alegam inocência. José Marcos cumpriu pena no Ahu por tráfico de drogas entre 1999 e 2002 mas disse que não tem envolvimento em nenhum dos assaltos no Uberaba. Gelson também negou participação, enquanto Ricardo contou que apenas ficou com uma televisão para ser revendida. “Ferrugem” – que ficou preso por tráfico de drogas no 7.º DP (Vila Hauer)- e “Fião” que estava foragido da delegacia de Piraquara desde o dia 11 de setembro de 2002 – confessaram estar presentes em apenas um dos assaltos.