Foto: Fábio Alexandre/Tribuna
Aldo não conseguiu levar
o alimento para casa.

A rua de terra Apóstolo Tiago, no Jardim Acrópole, Cajuru, foi o local escolhido para pôr fim à vida de Aldo Custódio, 27 anos. Ele foi assassinado a tiros na tarde de ontem, e apesar do movimento dos moradores da região, mais uma vez imperou a conhecida "lei do silêncio".

De acordo com os investigadores Lopes e Renato, da Delegacia de Homicídios, o crime aconteceu por volta das 13 horas. Aldo levou pelo menos quatro tiros no braço e no peito, e tombou morto no meio da rua. Junto ao corpo havia uma sacola com lingüiças, o que indica que a vítima acabara de deixar um mercado ou açougue. A única informação apurada pela polícia é que um sobrinho de Aldo esteve no local e contou que o tio morava no Jardim Weissopólis, em Pinhais. Ele não soube dizer o que o tio fazia no bairro Cajuru. O crime será investigado pela Delegacia de Homicídios.