Os pais de Odair da Silva Oliveira, 26 anos, tentaram impedir que o filho saísse de casa após receberem a notícia que ele fora perseguido por assaltantes. Porém, o rapaz ignorou o apelo e saiu de carro. Minutos depois, os pais escutaram os tiros e imaginaram o pior.

Odair rodou poucas quadras até ser assassinado na Rua Professor Zacarias Liteka, Sítio Cercado, por volta de 1h30. Como alguns pertences da vítima desapareceram, a polícia não descarta a possibilidade de latrocínio (roubo com morte).

A mulher de Odair relatou a investigadores da Delegacia de Homicídios que o marido era funcionário de uma empresa de material de construção e, por volta de 18h15, após o serviço, chegou impaciente em casa, avisando que tinha sido perseguido por três assaltantes.

Os marginais teriam atirado no pneu dianteiro do Gol placa AHV-8435, que ele dirigia. Odair saiu de casa e, novamente, fez contato com a esposa, afirmando que o trio tentava assaltá-lo.

Nervoso

A dona de um bar comentou com os policiais que Odair parou em frente ao estabelecimento demonstrando bastante nervosismo. Ele xingava e comentava que haviam atirado três vezes contra ele.

Por volta de 00h45, segundo registrado na delegacia, o motorista voltou para casa e avisou que ia até a residência dos pais que moram perto – para trocar o pneu furado.

Ele chegou na casa dos pais, fez a troca e recebeu conselhos da mãe, para que não saísse outra vez, pois estava correndo risco. O pai também tentou protegê-lo, oferecendo outro carro para que pudesse voltar para a residência dele, sem chamar a atenção de quem o perseguia. Mas ele recusou e saiu.

Minutos depois, os pais ouviram os disparos e saíram de casa correndo. A poucas quadras, encontraram o corpo do filho caído na rua com vários tiros, ao lado da porta do passageiro.

Estojos de munição calibre 380 foram recolhidos do local pela perita Maria do Rocio, do Instituto de Criminalística, que também levou para análise uma faca que a vítima teria usado para se defender e foi encontrada caída perto de um pneu.

Durante o trabalho da polícia, a esposa da vítima disse que o celular do marido e R$ 100 haviam desaparecido. A família não sabe explicar o que teria motivado o crime. Apenas comentou que Odair ficava alterado quando bebia.