t101140205.jpg

Vizinhos ouviram a confusão,
mas não souberam identificar
os autores: vítima tinha 15 anos.

Com apenas 15 anos, Gediel do Nascimento, também conhecido por "Sapo" ou "Ranhento" andava pelo Bairro Alto, na madrugada de domingo. Na Rua Arno Feliciano de Castilho, quase esquina com a Pedro Eloy de Souza, a poucos metros da ponte de divisa com Pinhais, o garoto foi brutalmente assassinado com golpes de pedra e faca. Por enquanto, não há suspeitos, mas acredita-se que seu envolvimento com drogas e furtos seja a causa da execução.

Os investigadores Alexandre e Lopes, da Delegacia de Homicídios, conversaram com uma moradora próxima do local do crime. Ela disse ter escutado uma discussão por volta da 1h. "Pelas informações, seriam dois homens e uma mulher que estavam discutindo naquela rua", comentou Alexandre. Segundo o policial, a moradora não soube identificar de quem eram as vozes.

Brutalidade

Os sons devem ter sido percebidos por mais moradores daquela rua escura, pois o estado do corpo do adolescente não deixava dúvidas quando à crueldade e violência empregadas. Sua cabeça foi esfacelada, provavemente, com uma pedra do tamanho de um paralelepípedo, deixando no asfalto, a quase um metro do crânio, pedaços do cérebro.

Porém, antes de ser completamente desfigurado, Gediel pode ter sido derrubado a golpes de faca. Conforme registrado na DH, ele levou uma facada no pescoço e outra na barriga, que deixou suas vísceras expostas.

Gediel já havia sido detido pela polícia militar, acusado de cometer furtos na região e também era conhecido por ser usuário de crack. Ele foi morto a poucos metros de sua casa, localizada do outro lado da ponte que divide os municípios.