Em procedimento de Análise de Risco Aduaneiro, realizada em conjunto pelas alfândegas da Receita Federal do Brasil do porto de Santos, em São Paulo, e de Itajaí, em Santa Catarina, foram identificadas cargas que chegariam ao País com indícios de irregularidades.

As cargas foram acompanhadas antes do desembarque. Abordagens efetuadas em terminais dos portos resultaram na retenção das mercadorias. Em ambas as operações, foi realizada inicialmente verificação das cargas com uso de escâner e comparação com as informações de pré-despacho nos sistemas de controle de carga marítima da Receita Federal. Quando a equipe identificou irregularidades nas mercadorias, foi efetuada a retenção, para posterior pena de perdimento dos bens.

Foi constatada a existência de grande quantidade de óculos de sol, roupas, materiais esportivos, bolsas e acessórios de informática, entre outros, grande parte com identificação de marcas internacionais e nacionais conhecidas.

Após os trâmites processuais, as mercadorias, que vinham da China e somam mais de R$ 20 milhões, serão encaminhadas para destruição.