Átila Alberti
Adevanil é o principal suspeito de ter matado Sônia.

O município de Almirante Tamandaré parece estar fadado a ser considerado o local que concentra assassinos de mulheres. Ontem, os investigadores do município descobriram que o principal suspeito de matar Sônia Regina da Silva, 48 anos, é autor de outro crime, ocorrido em maio de 2002. Naquele ano a vítima foi outra mulher, que também pegou carona com o criminoso.

Com o retrato falado do suspeito, na tarde de quinta-feira, policiais perguntaram para vários moradores de Almirante Tamandaré se alguém conhecia um homem semelhante. Com muito medo, eles revelaram que se tratava de ?Nicão?, um sujeito considerado perigoso que morava no bairro Santaria. Os investigadores foram até a casa dele, mas não o encontraram. Segundo vizinhos, o homem não aparece na residência há mais de uma semana.

Pornografia

Na casa foi encontrado farto material pornográfico, que incluía revistas e filmes. Também foram achados documentos que o identificaram como Adevanil Tavares Nogueira, 42 anos. Entretanto, o que mais chamou a atenção da polícia é que, entre o material apreendido, estão recortes da Tribuna com matérias relacionadas aos assassinatos em série de mulheres que aconteceram no município entre 1999 e 2002.

Com essas informações os policiais descobriram que Adevanil foi condenado pela morte de Creusa Aparecida Ferreira, 30 anos, assassinada depois de ser vista na garupa da moto do assassino.

Sônia

De acordo com o delegado Jairo Estorílio, a testemunha que viu Sônia deixar o bailão na madrugada de 11 de agosto, reconheceu Adevanil como o condutor da moto. Por conta dos indícios, o delegado representou ontem pela prisão preventiva do suspeito.

Sônia foi encontrada no corrego Barigüi, em Tranqueira, no último domingo. O corpo estava em avançado estado de decomposição, o que impediu a perícia de saber a causa da morte. ?Por enquanto não sabemos como ele cometeu esse crime?, finalizou o delegado, que pede que qualquer informação que ajude a localizar o suspeito seja passada pelo telefone 3657-1220.