Estão marcados para os dias 9, 11 e 15 de março, na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Curitiba, os julgamentos de três réus do Caso Zanella. Na terça-feira da próxima semana (9) será julgado Daniel Luiz Santiago Cortes; na quinta (11), Carlos Henrique Dias, e no dia 15, Maurício Fowler. O primeiro responde por fraude processual, denunciação caluniosa, falsidade ideológica e tortura; o segundo, por fraude processual, denunciação caluniosa e tortura; e o terceiro por usurpação de função pública, prevaricação, fraude processual, denunciação caluniosa e tortura.

Até o momento foram julgados três réus envolvidos no caso que resultou na morte do estudante universitário Rafael Rodrigo Zanella, em uma abordagem policial, no dia 28 de maio de 1997: Almiro Deni Schmidt, pelo homicídio, e Airton Adonski e Reinaldo Siduovski, os policiais civis que fizeram a abordagem do estudante, por forjarem provas e por tortura.

Outro dos réus, Francisco Batista Costa, acusado de falsidade ideológica, não será julgado, porque obteve habeas corpus trancando a ação penal.

Devem participar dos júris a juíza Flávia da Costa Viana, o promotor de Justiça Marcelo Balzer Correia, e os advogados Osman de Santa Cruz Arruda e Maurício de Santa Cruz Arruda (no dia 9), Antonio Henrique do Amaral Rabello de Mello (dia 11) e Arnaldo Faivro Busato Filho (dia 15).

Para o promotor de Justiça Marcelo Balzer Correia, com o desmembramento dos julgamentos o processo deve transcorrer dentro do esperado. “O júri de quatro réus deveria ter ocorrido em 3 de julho de 2007, mas foi adiado em função do habeas corpus concedido a Francisco José Batista da Costa, da substituição da defesa de Maurício Fowler e de problemas de saúde alegados pelos defensores de Carlos Henrique Dias e Daniel Luiz Santiago Cortes. Esperamos que agora, com a realização de três júris distintos, o processo possa ser concluído”, afirma.