A festa de Réveillon na Praça da Catedral, de Maringá terminou em brigas e atos de vandalismo. Três pessoas foram presas e duas ficaram feridas. Para conter a confusão, a polícia teve de usar bombas de efeito moral e munições não-letais. Durante a virada do ano, milhares de pessoas haviam assistido a dez minutos de show pirotécnico na praça.

De acordo com a Polícia Militar, depois dos fogos, ao longo da madrugada, já percebia-se ?ânimos exaltados? entre os participantes da festa, além de carros com som alto ligado, o que foi tolerado pelos policiais. Porém, por volta das 4h, a situação passou a ?extrapolar os limites?, segundo a polícia, momento em que um grupo de policiais foi alvo de arremessos de garrafas de vidro. Uma pessoa foi ferida e levada para o hospital.

A partir daí, a polícia orientou os proprietários dos veículos a baixarem o som e a irem embora. A recomendação foi atendida, mas um grande grupo de jovens, que já teria causado confusão, permaneceu nos entornos da praça. Policiais das Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) e o efetivo que já estava disponibilizado na Catedral entraram em ação para liberar o local, ?sem uso de força?, informou a PM. Mesmo assim, uma briga generalizada tomou conta da multidão. Os policiais utilizaram bastões e munições antimotim para conter a confusão. A briga resultou em mais um dos participantes da festa ferido. Nenhum policial sofreu ferimentos.