Sylvonei deitou no meio da
Marechal Floriano e foi atropelado.

O desempregado Sylvonei Gomes Fiedler, 28 anos, fez quinta-feira à noite sua última jornada pelos bares do Parolin. Às 2h10 de ontem, ele morreu atropelado na Avenida Marechal Floriano Peixoto, ao lado da estação tubo TRE, naquele bairro. A vítima estaria deitada no asfalto quando um Gol, dirigido por uma mulher, o atingiu mortalmente.

O rapaz, que morava na Fazendinha, ia diariamente ao Parolin, onde mora o irmão Silsio. “Ele ficava o dia inteiro nos bares. Todo mundo o conhecia e lhe oferecia uma pinguinha”, disse o irmão, contando que Sylvonei tinha problemas psiquiátricos e tomava um coquetel de medicamentos. “Bastava um golinho e ele ficava louco. Por causa da mistura com os remédios”, falou Silsio.

Na quinta-feira à tarde, Sylvonei passou rapidamente na casa do irmão e logo saiu, rumo aos bares. A família só voltou a ter notícias quando soube que ele havia morrido, atropelado pelo Gol CXY-0927, de São Paulo. A condutora, Adriana Derobio, disse à polícia que o rapaz estava deitado no meio da pista no instante do acidente. A chuva torrencial da madrugada de ontem colaborou para que ela não avistasse a vítima a tempo.