José Carlos dos Santos, 24 anos, foi preso com tantos objetos com a insígnia da Polícia Civil, que talvez nem um verdadeiro policial os tenha. Ele é acusado de extorquir comerciantes na região do Fazendinha, fazendo-se passar por investigador da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, onde já esteve preso.

A prisão foi feita pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), depois de receber denúncias anônimas. As supostas vítimas não compareceram na delegacia por medo, já que eram extorquidas por irregularidades em seus estabelecimentos.

De acordo com a polícia, José Carlos demonstrava para as vítimas que sabia nomes de delegados, funcionários, detalhes da estrutura e horários de atendimento da DFRV. As informações foram adquiridas no mês que passou preso na delegacia, por receptação.

Ofensas

As denúncias também dão conta que José Carlos brigou com policiais militares e ofendeu várias vezes. “Dessa forma ele denegriu a imagem das duas corporações”, lamenta o delegado Amarildo Antunes, titular do Cope. Ainda não se sabe há quanto tempo José Carlos agia.

Quando o Cope chegou à residência do suspeito, na Rua Fernando de Souza Costa, Fazendinha, na manhã de quinta-feira, ele insistiu em se apresentar como policial. Ele vestia uma camiseta da Polícia Civil e usava a insígnia em uma corrente no pescoço, imitando policiais.

Na casa, foram apreendidos camisetas, capas de coletes balísticos, algemas, coldres, lanterna, carteira com insígnia da Polícia Civil, carteira funcional do Poder Judiciário com sua foto e um simulacro de pistola. Também foram apreendidas nove munições de calibre 40, de uso exclusivo da polícia.

Vítimas

Ele foi autuado por falsidade ideológica e porte de munição de calibre restrito. Quem foi vítima de José Carlos deve procurar o Cope, para que ele seja indiciado pelas extorsões. O telefone do Cope é 3217-2900.

Confira no vídeo os detalhes da prisão.