Seis mulheres foram assassinadas em Curitiba e região metropolitana, entre a tarde de sexta-feira e o final da madrugada de ontem. Duas das vítimas foram mortas em São José dos Pinhais.

Os outros crimes foram registrados na Lapa, em Itaperuçu, Pinhais, e no Parolin, em Curitiba. Cinco das vítimas foram executadas a tiros e a outra a facadas. Somadas com as mulheres mortas em janeiro o número chega a 29 somente este ano.

A última vítima foi encontrada por volta de 5h de ontem, na Rua Constante Moro Sobrinho, que cruza a BR-116, no Contorno Leste, em São José dos Pinhais. Amordaçada e com os braços e pernas amarrados, Luciana Prati, 27 anos, foi localizada no banco de trás de um veículo Gol preto, parado ao lado do muro de um posto de combustíveis.

Os assassinos atearam fogo no veículo. De acordo com o perito Elmir, do Instituto de Criminalística, a jovem levou dois tiros no peito e estava com o braço carbonizado.

Os soldados Valério e Martins, do 17.º Batalhão da Polícia Militar, informaram que o carro está em nome da mãe da vítima. Eles descobriram também que Luciana morava em Santa Helena, no Oeste do Paraná, e vinha à capital.

Por volta de 3h30, ela passou pela praça de pedágio em Irati. O perito Elmir acredita que Luciana foi assassinada em outro local, já que nenhum projétil foi encontrado dentro do carro.

Outro

A delegacia de São José dos Pinhais também investiga o homicídio de Paulina Oliveira Sikora, 48. O crime aconteceu por volta de 22h de sábado, na Rua Jardim Alegre, Vila Rocco.

Segundo testemunhas, a vítima bebia com um grupo de pessoas. O autor dos disparos dividia o copo com ela, quando sacou uma arma e atirou. Em seguida, correu. Ninguém soube explicar o motivo do crime.