Um delegado, um superintendente e um escrivão que não é de carreira, não conseguiram apurar maiores detalhes dos dois homicídios e das duas tentativas que ocorreram no fim de semana, em Almirante Tamandaré. O maior problema é a falta de efetivo, já que os dois investigadores da delegacia estão afastados.

O delegado Agenor Salgado Filho, chefe da Divisão Metropolitana, prometeu tomar providências. “Nos próximos dias, cinco policiais assumem cargos na delegacia de Almirante Tamandaré. Serão quatro investigadores e um escrivão”, informou.

Crimes

Carlos Alberto Marguleski, 32 anos, foi assassinado quando andava pela Rua Wadislau Bugalski, no bairro Cachoeira, às 23h45 de sábado. Às 6h20 de domingo, Francisco de Assis de Souza, 18 anos, foi morto com três tiros, na Rua Antônio Johnson, no mesmo bairro.

Uma briga em um comício, próximo ao Terminal Central, envolvendo duas gangues, resultou em dois jovens esfaqueados, que foram encaminhados para hospitais de Curitiba, em estado grave.