Acusado de matar três meninos e mutilar outros dois, o médico Césio Flávio Caldas Brandão foi colocado em liberdade ontem à tarde. Condenado a 57 anos de reclusão, ele estava recolhido no Presídio Metropolitano de Belém, em Marituba, no Pará. O pedido de liberdade foi impetrado pelo advogado Cláudio Dalledone Júnior e foi concedido pelo ministro Marco Aurélio de Mello, do Superior Tribunal de Justiça.

Césio é acusado de praticar os crimes junto com Valentina de Andrade, Amailton Madeira Gomes, Anísio Ferreira de Souza e Carlos Alberto dos Santos Lima. As pequenas vítimas residiam no interior do Pará. Os cinco foram submetidos à júri popular, em dezembro do ano passado. Somente Valentina foi absolvida da acusação. Os outros foram condenados a penas que variam de 25 a 77 anos. "Agora assumimos a defesa de Césio", salientou Dalledone. Ele solicitou ao Superior Tribunal que o médico aguarde em liberdade o julgamento do recurso.