Mais uma vez a Justiça negou o pedido de liberdade feito pelos advogados do empresário e ex-BBB Edilson Buba, 33 anos. Na última sexta-feira, o ministro Gilson Dipp, da 5.ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, não concedeu a liminar do habeas corpus a favor do acusado.

Os defensores do empresário já haviam feito a solicitação no Tribunal de Alçada do Paraná, que também negou o pedido. Por causa disso, os advogados recorreram à instância superior, mas não conseguiram a tão esperada liberdade. O ministro Dipp ressaltou que, apenas a liminar – que significa soltura imediata do réu – foi negada, o que não impede que o pedido de habeas corpus seja aceito posteriormente. O ministro solicitou informações ao Tribunal de Alçada do Paraná, para fazer uma analise mais completa do caso e depois deve repassá-lo ao Ministério Público Federal para que seja emitido parecer. “Por enquanto o STJ negou a liminar, porém o pedido de habeas corpus ainda será julgado. O Ministério Público deve analisar o caso e depois passá-lo novamente ao ministro, para que ele dê o veredicto definito”, explicou um dos advogados de Buba.

Preso

Os defensores do empresário, que tentam descaracterizar a denúncia de trafico de drogas para uso, acreditam que a data para a instrução do julgamento seja marcada ainda em julho.

O empresário foi preso no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, no dia 26 de abril. Junto com o ex-BBB, a polícia apreendeu 18 comprimidos de ecstasy, aproximadamente 50 gramas de maconha e seis cápsulas de suplemento alimentar. Ele permanece detido no Centro de Observação Criminológica e Triagem (COT).