O suspeito de matar o cabo da Polícia Militar Enilson José Denes, 41 anos, num assalto a supermercado, em São José dos Pinhais, sábado passado, foi preso ontem pela manhã.

Apesar de Fagner Rocha de Araújo, 25, negar o crime, ele foi reconhecido “com certeza” por duas vítimas. A arma que o assaltante levou do policial, no dia do crime, ainda não foi encontrada.

O tenente Lucas Nicola, do 17.º Batalhão, explicou que a Polícia Militar recebeu várias denúncias sobre o autor do crime. Equipes de inteligência filtraram as informações e investigaram pessoas, até chegar a Fagner. Ontem pela manhã, abordaram o rapaz cortando a grama da casa da mãe, na Rua Mário Santos, Jardim Suíça, em São José dos Pinhais.

Imagens

Na delegacia, Fagner foi reconhecido por duas vítimas, e outras quatro testemunhas serão chamadas até segunda-feira. O rosto e a voz do suspeito são compatíveis com o material registrado pelas câmeras de segurança do mercado, segundo a polícia, e um tênis muito semelhante ao usado pelo marginal foi encontrado na casa dele.

A Justiça decretou a prisão preventiva de Fagner. Clóvis Pinheiro, superintendente da delegacia local, afirma que está providenciando outras provas técnicas para dar mais embasamento à prisão.

Fagner negou o crime. Como álibi, disse que no dia do assalto estava na casa de seu ex-patrão, ao lado de um bar, jogando cartas. O detido já tem duas passagens pela polícia, mas alega que foi absolvido do crime de roubo e só está “pagando” por receptação. Saiu em março do sistema penitenciário. De acordo com o tenente Nicola, Fagner tem um irmão preso por tráfico de drogas e outro, assassinado por envolvimento com entorpecentes.

Assalto

O marginal entrou armado no mercado, na Rua Jorge Guimarães de Camargo, no Jardim Cruzeiro, e ordenou que uma funcionária colocasse o dinheiro do caixa numa sacola.

O policial, em horário de folga, tentou imobilizar o assaltante, pelas costas, apontando a arma no pescoço dele. O bandido reagiu e os dois lutaram. O assaltante matou Enilson com dois tios no rosto e fugiu com R$ 600,00 e a arma do policial.