“Paçoca” provavelmente
foi atraído para uma cilada.

A poucas quadras de onde teria matado uma pessoa há dois meses, João Líbano dos Santos, conhecido como “Paçoca”, 44 anos, teve o mesmo destino no final da noite de quinta-feira. Com uma bala na cabeça, ele caiu morto na Rua José de Alencar, esquina com Rua Bom Mestre, Vila Sabará, Cidade Industrial. A polícia investiga agora, a relação entre os dois crimes.

João Líbano era apontado como assassino de Alexandro de Paula, 26, baleado cinco vezes na tarde de 5 de outubro passado, um domingo, no mesmo bairro. O rapaz teria sido executado por vingança, porque indicou à polícia o endereço de “Paçoca”, quando o irmão Edenílson Aparecido de Paula, 23, foi morto a tiros, em 15 de janeiro deste ano.

O homem baleado anteontem teria sido o mandante da morte de Edenílson, segundo parentes deste. Alexandro teria sido jurado de morte por causa da denúncia – que resultou na prisão do acusado de tirar a vida de seu irmão.

“Paçoca” foi morto com um tiro à queima-roupa que lhe atravessou a cabeça. Alguns curiosos acompanharam o trabalho da polícia, mas nenhum deles prestou informações sobre o crime.

Segundo parentes, “Paçoca” passou a viver em Piraquara depois da morte de Alexandro. Na noite de quinta-feira, ele foi chamado por um suposto comprador da casa que mantinha no Sabará. Mal chegou à vila, levou o tiro fatal – a família acredita que tenha sido vítima de uma armadilha, e que sua morte esteja ligada às anteriores.