Mesmo tentando fugir por um alçapão, João Edivaldo Fusco, 48 anos, foi pego pelas calças por policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na manhã desta terça-feira (20). Ele tinha um mandado de prisão por estupro de vulnerável, por ter introduzido o dedo na vagina de uma menina, de 8 anos.

De acordo com o delegado Cristiano Quintas, a população denunciou que João tinha um mandado de prisão e estava andando tranquilamente pelas ruas do Sítio Cercado. O suspeito chegou a entrar em luta corporal com os policiais. “A suspeita é que ele tenha abusado sexualmente da enteada”, contou o delegado. O crime teria acontecido em 2008, em Araucária. João é suspeito ainda de ter passado a mão nas partes íntimas de uma outra menor na mesma época.

Golpe

João nega que tenha abusado sexualmente da enteada. Ele diz que a ex-mulher, com quem ficou casado três meses, inventou a história. “Ela roubou tudo que eu tinha e disse que ia detonar minha vida. Nunca fiquei sozinho com as filhas dela”, afirmou.

Pela semelhança de João com o retrato falado do homem que comprou a mala em que foi encontrado o corpo de Raquel Genofre, 9 anos, em novembro de 2008, ele foi levado à delegacia. Mas, segundo Cristiano, João já tinha feito exame de DNA em junho do ano passado. De acordo com o delegado, mais de 120 exames de DNA foram realizados para tentar chegar ao assassino de Raquel.