O mecânico José Ademir Radol, 48, que foi preso na tarde de sexta-feira (04), suspeito de matar a estudante Aline Moreira, de 18 anos, na última semana, foi encontrado enforcado na cela em que estava detido na delegacia de Rio Negro, no sul do Paraná. O suspeito era namorado da mãe da vítima e se identificava com o nome falso de Márcio Melo. Radol, Aline e a mãe dela moravam em Mafra (SC).

Segundo o delegado Sérgio Luiz Alves, José chegou à delegacia por volta das 17h de sexta-feira. Às 19h, ele foi levado para o hospital, onde fez os exames regulares, obrigatórios em toda pessoa que é colocada na cadeia. “Por volta das 20h, ele foi trazido de volta à delegacia e colocado em uma cela com outros três homens. Por volta das 23h, os presos começaram a gritar chamando o plantão. Quando os policiais chegaram lá, José já estava em óbito” relatou o delegado.

Segundo o delegado, José estava em uma cela com dois presos acusados de abuso e outro preso que tinha sido isolado dos demais por conta de ameaças. “Somente o laudo da perícia poderá explicar o que houve”, ressaltou o delegado.

Crime

No dia 27 de setembro, José disse que vinha a Curitiba comprar pneus. Aline aproveitou a carona para rever o namorado que tinha aqui. Mal começou a viagem, José seguiu para a zona rural de Rio Negro e matou Aline, encontrada nua próximo a um riacho. Laudos do IML dirão se ela foi violentada.