Dois suspeitos de envolvimento na briga que terminou com a morte de dois jovens, na madrugada de sábado, na saída do Celebrare Bar, no Bigorrilho, foram reconhecidos por testemunhas, na manhã de ontem, na Delegacia de Homicídios.

Eles teriam participado da confusão, mas não efetuaram os disparos que mataram Edson Luiz de Oliveira, 18 anos, e Guilherme Henrique dos Santos Silva, 16.

O rapaz identificado como Everton Luiz, 25, que deixou cair o documento de identidade no local do crime e era considerado o principal suspeito de ter atirado, não foi reconhecido.

A testemunha, que o havia reconhecido com 85% de certeza, pela foto do documento, alterou sua versão. Ela afirmou que, pela altura e outras características físicas, não foi ele o autor dos disparos.

“De fora”

“A pessoa que atirou veio de fora e não se envolveu na briga. Poderia ter atingido os meus clientes. Se eles tiverem que responder por algo, que seja por vias de fato, já que não tiveram nenhuma relação com as mortes”, afirmou Sandra Silveira, advogada de três suspeitos.

Os dois rapazes reconhecidos na briga serão, a partir de agora, o centro das investigações. De acordo com a delegada Aline Manzatto, eles provavelmente sabem quem atirou. “Suspeitamos que eles foram à casa noturna com o atirador, ou se encontraram com ele lá”, explicou. Todo o processo do reconhecimento foi gravado.