Policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) retiraram de circulação mais de 2.400 pedras de crack e prenderam dois suspeitos, em dois dias. Como as drogas estavam embaladas de forma semelhante, a polícia investiga se seriam do mesmo fornecedor.

Na manhã de terça-feira, no Tatuquara, foi detido Osmar Alberto de Carvalho Júnior, 22 anos, conhecido como “Tatu”. O Cope foi a casa dele com a informação repassada pela população que no local estariam guardadas armas que eram usadas em assalto.

A denúncia não foi confirmada. No entanto, os policiais apreenderam 1.052 pedras de crack preparadas para a venda, e mais uma pedra grande de 400 gramas. “Vamos trabalhar no prazo legal de 10 dias para ver se existe alguma vinculação dele com arma de fogo”, comentou o delegado Matheus Laiola. Tatu foi preso em flagrante e já tinha passagem por tráfico de drogas. Ele alega que comprou o entorpecente de uma pessoa desconhecida e que venderia para o pessoal do bairro.

Mais

Na manhã de ontem, outro homem foi detido com 1.350 pedras de crack e uma espingarda, escondidas em sua casa, no bairro Campina do Siqueira. Ezequiel dos Santos, 33 anos, já tinha passagem por roubo. “Tínhamos informações que, além da droga, ele estaria com dinamite para explodir caixa eletrônico. Apuramos e descobrimos que, há alguns meses, outra delegacia encontrou dinamite na mesma casa”, disse Matheus. No dia da prisão, os explosivos não foram encontrados.