Acusado de liderar um grupo de extermínio, suspeito de envolvimento em pelo menos oito homicídios, roubos e comércio de armas, em Curitiba e região metropolitana, o tenente Marcelo Freitas Barbosa deixou a prisão na tarde de ontem. Ele é ex-comandante do 3.º Pelotão da 4.ª Companhia do 17.º BPM.

Embora continue respondendo as acusações, o policial ganhou o direito de responder em liberdade e reassume suas funções na Polícia Militar. Entre os crimes atribuídos à quadrilha está o latrocínio do procurador de Justiça aposentado Orivaldo Spagnol, em agosto do ano passado, em Campina Grande do Sul.