Alberto Melnechucky
Sozinho, policial ferido impede fuga em massa de Tamandaré, matando um detento e recapturando outro.

Um preso morreu, outro ficou ferido e um policial foi agredido a coronhadas e golpes de estoque na delegacia de Almirante Tamandaré, na noite de sábado, durante tentativa de fuga. Superlotado, o xadrez abrigava 65 detentos (tem capacidade para 30) que improvisaram armas e aguardaram o plantonista – investigador Abdala – abrir a porta da carceragem, para entregar comida. Mesmo rendido, o policial conseguiu sacar sua arma e balear um dos detentos que, embora ferido, saltou o muro da delegacia e morreu do lado de fora.
A confusão ocorreu por volta das 21h de sábado. Apenas Abdala estava no plantão da delegacia. De acordo com informações de outros policiais, ele foi atacado por Alexandre Ribeiro e Hélio Lourenço de Araújo, que estavam armados com estoques. O policial reagiu, sacou a arma e atirou em Alexandre, atracando-se em luta corporal com Hélio, que tentava desesperadamente tomar a arma do investigador.
Fuga
Apesar de baleado, Alexandre conseguiu sair do xadrez e alcançar o muro da delegacia, que é cercado por arames com lâminas pontiagudas e pulou, tombando morto do lado de fora. Hélio, acertando golpes de estoque na cabeça do policial e alguns de coronha, quando tentava tomar a arma, também conseguiu sair da carceragem e escapar. Já na rua, tentou roubar um carro, mas não conseguiu.
Abdala pediu apoio aos colegas do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e também chamou o Siate. Mesmo ferido, saiu
atrás de Hélio, conseguindo encontrá-lo e recapturá-lo. Com a chegada do reforço, o policial e o detento, ambos bastante machucados, foram levados para o Hospital Cajuru.
Alexandre e Hélio foram presos em Campo Magro por roubo e em seguida transferidos para o xadrez da delegacia de Almirante Tamandaré.