A tentativa de policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), de interceptar um carro roubado na esquina da Rua Marechal Hermes e Travessa João Bonn, a uma quadra do Museu Oscar Niemeyer (MON), Centro Cívico, provocou tiroteio e perseguição no início da tarde de sexta-feira (08). Dois bandidos foram capturados horas depois a caminho de Colombo. Uma caminhonete Tucson foi apreendida com a dupla, que não teve o nome divulgado. A polícia espera prender o resto da quadrilha no fim de semana.

Os investigadores estavam de campana em uma Kombi com emblemas de uma empresa de doces e festas. Pouco antes das 14h, bandidos no Honda Civic roubado de manhã no Bigorrilho se aproximaram e os policiais fecharam o cruzamento. O tiroteio começou, mas os marginais conseguiram escapar. Nos asfalto ficaram cápsulas de pistola e de calibre 12, ninguém ficou ferido.

Na fuga, o Civic bateu em três veículos estacionados na Rua Marechal Mallet, no Ahu: um Peugeot 206, um Pálio e uma moto. Com a pancada, o 206 foi arrastado por 15 metros e deu perda total, tanto quanto o Civic.

Cobertura

O motorista abandonou o Civic e entrou num Peugeot 408 que lhe dava cobertura. O carro teria sido abandonado no Cabral e a Tucson tomada em assalto. Viaturas da Polícia Militar auxiliaram nas buscas, entretanto, policiais do Cope conseguiram deter os suspeitos. A forma como foram detidos não foi divulgada pela polícia.

Investigadores do Cope informaram que a campana no Centro Cívico fazia parte de uma operação sigilosa, por isso, não confirmaram se o objetivo era pegar os assaltantes do Civic. No entanto, uma moradora do Ahu contou o que ouviu dos policiais. Eles disseram que o Civic, roubado pela manhã, foi deixado pelos marginais no estacionamento do MON para “esfriar”, até que não fosse mais procurado pela polícia. Os policiais localizaram o Civic e ficaram de campana na Kombi dos doces até que os marginais buscassem o carro. Foi durante esta interceptação que houve o tiroteio.