Um traficante foi morto ao trocar tiros com policiais à paisana, na noite de segunda-feira, em Araucária. Marcos Roberto do Santos, conhecido como “Cérebro”, 28 anos, era responsável pela venda de entorpecentes numa área do bairro Costeira e diversas denúncias já haviam sido feitas contra ele.

O confronto aconteceu numa tenda no meio do mato. Marcos foi socorrido pelo Siate, mas morreu em seguida, no Hospital Municipal de Araucária. Por volta das 22h, uma equipe do serviço reservado do 17.º Batalhão da Polícia Militar foi informada que usuários de drogas estavam reunidos em um matagal, próximo à Rua A, em volta de uma fogueira.

Os policiais à paisana pararam o carro nas imediações e caminharam ao encontro dos suspeitos. “Havia algumas pessoas no local, consumindo crack e aguardando o traficante que iria fornecer mais droga”, contou o delegado Rubens Recalcatti.

Desobediência

Os policiais se identificaram e mandaram que todos deitassem para que fossem revistados. Outros rapazes chegavam e eram abordados. Eles ficaram no mocó por quase duas horas, até que chegou Marcos.

“Ele provavelmente pensou que os policiais fossem traficantes, tentando tomar o ponto dele e começou a gritar, com uma arma na mão”, relatou Recalcatti. Os policiais se identificaram e mandaram Marcos levantar os braços, mas ele não obedeceu e atirou. No revide, foi baleado.

Com Marcos a polícia apreendeu um revólver calibre 38, com três munições deflagradas. Durante o tiroteio, alguns dos rapazes que estavam no mocó aproveitaram para fugir.

Pai

O delegado Recalcatti informou que a polícia já tinha recebido várias denúncias envolvendo Marcos. No início do ano, moradores do bairro ligaram para o 181 Narcodenúncia informando que ele e outros indivíduos vendiam drogas em frente a uma escola.

Há cerca de dois meses, eles mudaram o ponto de venda. O pai de Marcos confirmou que ele vivia do tráfico e que, por conta disso, não tinha mais contato com o filho.