Foto: Walter Alves

Izaac foi baleado nas costas, depois que Cristiane atropelou a mãe.

A confusa história de uma família teve um triste capítulo na manhã de ontem, no Bairro Novo C. Em meio a padrasto atirando em enteada, filha atropelando mãe e sogro sendo maltratado pelo genro, o marceneiro Izaac dos Santos Albino, 35 anos, foi morto com um balaço nas costas e sua amásia, Cristiane do Carmo da Costa, 25, levou um tiro no rosto. O crime aconteceu na varanda de uma casa da Rua Gianfranco Bertoni, por volta das 9h.

Na residência mora Euclides Caetano da Costa, 65, o ?Guido?. Ele tem as duas pernas amputadas e era cuidado por Izaac e Cristiane, sua filha de criação. Porém, familiares do idoso acusavam o casal de, nos últimos meses, cometer maus-tratos contra Euclides. Além disso, segundo os parentes, a dupla teria obrigado ?Guido? a comprar um carro em seu nome e não estaria pagando as prestações.

Basta

Revoltada, a família do idoso se reuniu para dar um basta a essa situação e foi até a casa, na tentativa de convencer o casal a vender o veículo ou quitar as prestações, atrasadas desde setembro. O plano não deu certo, acabou em briga, e, pelo que foi passado à polícia, o caminhoneiro Álvaro Oscar de Oliveira, 40, atirou contra Izaac e Cristiane. O autor dos disparos é marido de Vilmara – ex-mulher de Euclides e mãe de Cristiane. O caminhoneiro é benquisto pela família do idoso e já cuidou dele em anos anteriores.

De acordo com testemunhas, Álvaro chegou à residência e estacionou seu Opala, em frente ao portão, justamente para impedir que Izaac saísse com a Parati comprada no nome de Euclides. Os dois começaram a discutir em frente à porta da casa. ?Cristiane pegou duas facas e ameaçou Álvaro – seu padrasto – e o restante da família. De repente, entrou na Parati, deu ré e prensou Vilmara, sua mãe, contra o Opala?, resumiu o investigador Magalhães, da Delegacia de Homicídios, que investiga o caso.

Tiros

?Provavelmente, Álvaro ficou nervoso e quando Cristiane saía do carro atirou nela. Depois, atirou em Izaac?, completou o policial. Izaac morreu na hora, enquanto sua amásia foi levada por um vizinho a um posto de saúde 24 horas, no Sítio Cercado. Após os disparos, Álvaro colocou Vilmara no Opala e o casal fugiu.

O investigador explicou que a delegacia deverá aguardar pela apresentação do autor. ?Caso não se apresente, o delegado irá analisar se pede ou não a prisão preventiva de Álvaro?, disse Magalhães.

Casal maltratava idoso e queria ?dar o golpe?

O irmão de Euclides, Luís Caetano, explicou que, quando começaram a cuidar do idoso, Izaac e Cristiane eram carinhosos. ?Faz uns três meses que começaram os maus-tratos. Xingavam, não davam comida na hora certa, faziam fritura que o médico tinha proibido?, exemplificou. Além da questão do carro, o irmão acredita que a dupla desapareceu com os documentos de Euclides porque pretendia passar a casa para o nome deles e, depois, vendê-la. ?Também fizeram três empréstimos no nome do Euclides?, acrescentou. A polícia informou que Izaac tinha antecedentes criminais e já esteve preso em Guaratuba.