Atentados a tiros, perseguições, acidentes e muitas mortes marcaram o fim de semana. Em três diferentes situações atendidas pela polícia, seis pessoas foram feridas a tiros. Cinco delas morreram e uma está hospitalizada, em estado grave. Um dos casos aconteceu às 4h30 de sábado, quando três ocupantes de um Audi A3, que deixavam uma boate de classe média-alta, foram atacados no semáforo da Rua Guabirotuba com Rua Iapó, no Rebouças. Homens que estavam em um Escort balearam o empresário Elinson Luiz Antunes Olgado, 22 anos, proprietário e condutor do Audi, e o passageiro Vinícius Urbano, da mesma idade. Ambos foram levados ao Hospital Cajuru e morreram horas depois.

As duas vítimas e mais um amigo, de 25 anos, deixaram a danceteria na esquina das ruas Conselheiro Dantas e João Negrão, Rebouças, 10 minutos antes do crime. Elinson guiava o Audi em direção ao Capão da Imbuia, onde os três moravam, quando se aproximou um Escort bordô, com pelo menos duas pessoas no interior. No momento em que os dois carros pararam no semáforo fechado, a menos de 300 metros da boate, um ocupante do Escort sacou uma pistola calibre 380 e começou a disparar.

Oito balaços atingiram lanternas traseiras, vidros e lataria do lado direito do Audi. Segundo o investigador Veiga, da Delegacia de Homicídios, o mesmo tiro transfixante que atingiu Vinícius, sentado no banco de trás, acertou o motorista. O terceiro ocupante do Audi escapou ileso e levou os amigos ao Hospital Cajuru.

Em estado de choque, o sobrevivente afirmou que não houve desentendimento na boate, mas, meia hora antes do crime uma pessoa chamou a Polícia Militar, denunciando que estava sofrendo ameaças em frente à casa noturna. A ocorrência, porém, não foi atendida por falta de viatura. A DH apura a possível relação entre este caso e o duplo assassinato.

Primos

Em outro atentado, os primos Jonas Isidro de Souza, 21 anos, e Ronaldo da Silva Souza, 16, foram executados a tiros, à 1h30 da madrugada de ontem, em uma casa situada no cruzamento das ruas Pomba e Beija-flor, no Jardim Sol Nascente, em Araucária. Jonas foi atingido por um tiro no peito e Ronaldo no peito e na axila esquerda. Um tio dos rapazes ainda tentou socorrê-los, colocando-os em seu carro para transportá-los ao hospital. Porém, percebeu que as vítimas já estavam mortas e chamou a polícia.

Um homem encapuzado invadiu a casa onde estavam os dois rapazes. O atirador derrubou a porta e com a arma em punho efetuou os disparos. Na seqüência, deixou o local sem ser identificado.

O caso está sendo investigado pela delegacia de Araucária. O filho de um comerciante estava sendo apontado como suposto autor das mortes que estariam relacionadas com o uso de entorpecentes. As duas vítimas, de acordo com a Polícia Civil, seriam usuárias de drogas.