Estiveram na redação da Tribuna o juiz João Kopitowski, atualmente no Tribunal de Alçada (e o presidente do 1.º Tribunal do Júri de Manaus, Aristóteles Lima Thury. Eles vieram divulgar a realização do VII Encontro Nacional do Tribunal do Júri, que acontecerá nos próximos dias 25 e 26 deste mês na capital do Amazonas. Neste encontro serão discutidas propostas para tornar o órgão mais atuante. “A intenção é discutirmos formas de modernizar o funcionamento do Tribunal do Júri, tornando-o mais ágil. Também queremos deixá-lo mais próximo do povo”, comentou Thury.

O tema deste ano é “O Tribunal do Júri e violência no País”. A partir das discussões e debates entre advogados e promotores de todo o País será elaborada a “Carta de Manaus”. Além destes assuntos, os participantes também terão a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a Amazônia e todas as suas riquezas. “Vamos realizar uma conscientização cívica e ecológica”, disse Kapitowski. O encontro que está em sua 7.” edição – já foi realizado por duas vezes em Curitiba, nos anos de 1995 e 2000.

Ampliação

Kopitowski comentou sobre a idéia de ampliar a atuação do Tribunal do Júri. Atualmente o órgão julga apenas crimes dolosos contra a vida. “É uma discussão que está amadurecendo. A intenção seria ampliar a competência do Tribunal para crimes do “colarinho branco” e ambientais”, explicou.

Thury destacou a importância do Tribunal do Júri na decisão de sentenças onde os casos são decididos pela interpretação do povo e não apenas pelo juiz togado. “São sete jurados, representantes legais da sociedade”.

Um dos conferencistas convidados para o evento será o ministro Luiz Vicente Cernicchiaro que fará a palestra “Tribunal do Júri: conteúdo dos julgamentos”.