Três assaltantes morreram e cinco foram presos, ontem pela manhã, logo após um assalto a banco. Dois funcionários ficaram feridos, mas não correm risco de morte. O roubo ocorreu na agência do Unibanco, no centro de Maringá, por volta das 11h.

De acordo com o delegado Márcio Amaro, chefe da 9.ª Subdivisão de Polícia de Maringá, quatro bandidos chegaram à agência, ocupando duas motos. Três entraram e um ficou aguardando do lado de fora. Como a agência não tem mecanismos de detecção de metais, dois dos assaltantes entraram armados e renderam um dos vigilantes.

Quanto iam dar voz de assalto, notaram a presença de outro vigilante, na área dos caixas, e começaram a atirar. No tiroteio que se armou, uma funcionária foi baleada na perna e o colega dela, no peito. Depois do confronto, os bandidos desistiram do assalto e fugiram nas motos.

Perseguição

Por volta das 12h30, policiais civis localizaram os suspeitos e os seguiram até uma residência. Os policiais chamaram apoio e invadiram a casa, onde estavam outras quatro pessoas. Foram recebidos a tiros e, no revide, três suspeitos foram mortos.

André Leonardo de Oliveira Gomes, 18 anos; Ataídes Diego Moreira Cezar, 21, com passagens por roubo e porte ilegal de arma; e Alécio Azevedo dos Santos Júnior, da mesma idade, também com antecedentes criminais – todos moradores em Londrina -morreram na hora.

Na casa, ainda foram detidos César Ricardo Cavalcanti, 25, com passagens por porte ilegal de arma, ameaça e receptação e Elton Cristiano Lira Ochoa, 21, moradores em Maringá; e os londrinenses Diego Auxílio Montezin, 22; recém-liberado da Penitenciária de Londrina, onde esteve preso por roubo; Juliano Gonçalves de Campos, 27, com passagens em Campinas (SP) por roubo e em Taquaritinga (SP) por estelionato; e um adolescente de 17 anos.

Armas

Dois revólveres calibre 38, dois revólveres calibre 32, e uma pistola calibre 380 foram recolhidos com o bando. Também foram apreendidas três motos e dois automóveis, sob a suspeita de terem sido usados em outros roubos, nos últimos 60 dias.

Os cinco detidos foram autuados por formação de quadrilha e porte ilegal de arma. Três foram reconhecidos como autores do assalto ao Unibanco de ontem e outros crimes semelhantes, e por isso também foram autuados por roubo e tentativa de latrocínio (roubo com morte).