Encostado no muro de casa e conversando com dois amigos, Helion Henrique Cerqueira do Nascimento, 25 anos, foi alvo de atiradores que passaram em um Punto vermelho pela Rua Ney Pacheco, Vila Verde, Cidade Industrial, por volta das 21h30 desta quarta-feira (22).

Testemunhas disseram à polícia que dentro do carro havia quatro indivíduos, armados de pistolas, que apenas pararam perto do trio e abriram fogo sem descer do veículo. Helion morreu baleado com mais de dez tiros.

Vagner Lucas Petla, 34, e Tiago Carvalho de Oliveira, 16, também foram atingidos, mas sem gravidade. Eles foram socorridos ao Hospital do Trabalhador, fora de risco.

“Conversamos com um deles no hospital e confirmou a versão das testemunhas. Por enquanto, a principal linha de investigação tem relação com a ficha criminal da vítima”, explicou o delegado Fábio Amaro, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Segundo ele, Helion tinha passagens por porte de munição e tráfico de drogas. “Se o atentado contra ele foi motivado por outra desavença, que não seja com traficantes, vamos descobrir ao longo do inquérito”, comentou o delegado.

Na segunda-feira (20), Mailon Rafael de Novaes, 27, foi morto perto de onde Helion e os dois amigos foram alvejados. O rapaz tinha ido ao mercado com a companheira e na volta pediu para que ela fosse embora na frente, então parou para conversar com um conhecido na Rua Emílio Romani.

Minutos depois, a mulher ouviu tiros, foi para rua e encontrou o corpo de Mailon sem vida. Ele também tinha passagens por tráfico e a polícia não descarta a relação do crime com a morte de Helion.