Apenas uma garota de 12 anos foi poupada por dois marginais, que mataram o pai dela, a madrasta e um amigo da família, na noite de terça-feira, em São José dos Pinhais. Adão Carvalho de Souza, 40 anos, a amásia dele, Mari Terezinha Rodrigues, 27, e Rafael Ferreira Bello, 26, foram assassinados com tiros de calibre ponto 40. Os assassinos, segundo a polícia, estavam atrás de dinheiro do tráfico de drogas.

Segundo o chefe do setor de investigação da delegacia local, Roberto de Miranda, Adão e Rafael eram foragidos da prisão. Rafael morava em Fazenda Rio Grande e foi preso em 2005, por roubo, na Delegacia de Furtos e Roubos (DFR). Adão e a amásia vieram de Foz do Iguaçu, há cerca de cinco meses, para morar em São José dos Pinhais.

Discussão

Mari foi morta na Colônia Murici.

Na noite de terça-feira, Rafael foi visitar Adão. Os dois, segundo a polícia, estariam envolvidos no tráfico de drogas. “Provavelmente, os dois se conheceram na prisão”, contou Miranda.

Foi Adão, conforme a investigação, quem levou os assassinos para dentro de casa, na Rua Mário Santos, no Quississana. Por volta das 20h, ele foi até uma pastelaria no Jardim Suíça, e retornou, instantes depois, junto com dois homens.

“Houve discussão dentro da residência e um dos indivíduos atirou cinco vezes em Adão, que morreu na hora”, relatou Miranda. Em seguida, a dupla rendeu Rafael, que estava armado, e teve os braços e pernas amarrados. “Eles perguntaram pelo dinheiro, cujo valor não conseguimos levantar. Rafael disse que não sabia de nada”, relatou Miranda.

Os assassinos vasculharam a casa à procura da quantia. Como não a encontraram, levaram Mari e a menina para o carro da família e voltaram para executar Rafael, que levou dois tiros. A dupla dirigiu uma caminhonete F250 até a Rua Ladislau Toczeck, na Colônia Murici. Mari foi retirada do carro e ferida com dois tiros na cabeça.

Socorro

Em seguida, os criminosos abandonaram a caminhonete, deixando a criança dentro do veículo, e fugiram num outro automóvel conduzido por um comparsa. Conforme apurado pela polícia, um dos atiradores é magro e alto. O outro está acima do peso e é mais baixo. “Do terceiro indivíduo, que estava dentro do carro, sabemos apenas que é moreno. Os três têm idades ente 25 e 30 anos”, registrou.

Segundo Miranda, a menina pediu socorro a populares e foi encaminhada ao Conselho Tutelar. “Ainda não temos nome de suspeitos. No interior da casa, foram recolhidos alguns documentos com alguns nomes, mas nada foi confirmado”, disse o policial.