Alberto Melnechuky
Edson levou dois tiros
à queima-roupa.

?Matei a pessoa errada. Eu vou voltar." Estas foram as únicas palavras ditas pelo assassino, na noite de domingo, depois de abrir fogo contra os freqüentadores de um boteco em Fazenda Rio Grande. Um homem tombou morto no bar e outros três foram baleados – entre eles o dono do estabelecimento, que foi internado em estado grave.

A confusão começou por volta das 20h30, quando o assassino chegou ao bar e mercearia Montana, na Rua Nicarágua, bairro Nações I, com duas pistolas em punho. Segundo testemunhas, sem dizer uma só palavra,

o criminoso entrou no bar e começou a atirar. O dono do boteco, João Gomes Rodrigues, 56 anos, estava atrás do balcão quando foi baleado. Ele tentou correr para os fundos do comércio, onde mora com sua família, e o criminoso o seguiu, efetuando outros disparos. Ferido com quatro tiros, ele foi socorrido pelo Siate e levado em estado grave ao Hospital do Trabalhador. Além de João, Edson Luiz da Luz, 38, também foi baleado. Ele foi morto com dois tiros à queima-roupa – nas costas e na barriga. Antes de ir embora o criminoso ainda atirou nas pernas de Vanderlei dos Santos, 38, e Juliano José da Silva, 23. Os dois moram na mesma rua e estavam conversando em frente ao portão da casa, ao lado do bar.

De acordo com o investigador da delegacia local, Valdir Ferreira dos Santos, quando fugiu, o assassino disse que tinha matado a pessoa errada e prometeu voltar. Testemunhas contaram que ele escapou em um Gol preto, que ficou parado na esquina dando cobertura. O assassino portava duas pistola calibre 380. Testemunhas o descreveram como um homem moreno, de estatura mediana e com mechas loiras no cabelo.