Uma mulher, de aproximadamente 60 anos, participou do resgate de 15 presos, no início da madrugada de ontem, na delegacia de Guaratuba, no litoral do Paraná. Junto com ela estavam outras oito pessoas, armadas com duas metralhadoras, duas escopetas e pistolas.

Os marginais agrediram os policiais, tomaram suas armas e as chaves da carceragem, depois abriram os cadeados para que todos os presos pudessem deixar o local. Mesmo assim, 36 preferiram ficar na cela. Entre os 15 fugitivos estava José Alves dos Santos, preso por porte ilegal de arma, que resolveu retornar espontaneamente para o xadrez. "Ele alegou que em casa iria passar fome. Por isso voltou para terminar de cumprir a pena", salientou o delegado José Carlos Rodrigues de Almeida, da DP de Guaratuba.

Simulação

A mulher bateu na porta da delegacia à 1h30 da madrugada. Ao ser atendida pelo policial de plantão, alegou que seu carro havia sido furtado.

Apesar de a mulher estar acompanhada de um rapaz, o policial não desconfiou e abriu a porta, momento em que foi rendido por ela, que sacou uma pistola. O rapaz intimidou o policial ameaçando-o com uma metralhadora. Em seguida, os cinco comparsas dos bandidos invadiram o local, armados de escopetas, pistolas e mais uma metralhadora. Eles ajudaram a render os outros dois plantonistas. Assim, que pegaram a chave da carceragem, eles foram em direção aos traficantes Emerson José da Silva Andrade, Rosa Espíndola, Claiton dos Santos e Juliane Kadamura. Assim que foi libertado, Emerson recebeu duas pistolas. "A finalidade era resgatar o Emerson e a amásia dele, Rosa. O casal foi preso há 20 dias de posse de maconha, crack, cocaína e R$ 5.700,00", salientou o delegado. "Agora eles devem trabalhar juntos com o Claiton e a Juliane, já que todos são de Curitiba", acredita o delegado.

Fuga

Junto com os casais de traficantes escaparam do xadrez os assaltantes João Francisco Meira, Romildo Fernandes, Claudinei Amaral, Silvio Patrick e José Alves dos Santos. Além de Dirceu Teodoro, Alexandre Propício e Anderson Bongolf Pinto, que responde por furto. Todos foram recapturados. "Continuamos as buscas para tentar localizar os dois casais. Mas acreditamos que eles foram para Curitiba", disse José Carlos. Ele disse que a localização só foi possível graças a união das polícias civil, militar e rodoviária. "Trabalhamos em conjunto. Aqui temos a polícia guaratubana", disse o delegado.