A morte do homem identificado apenas como “Paçoca”, cerca de 30 anos, deixou alguns moradores de um beco na Rua Auton Tchekow, favela do Papelão, Capão Raso, bastante assustados. Por volta das 14h30 de sexta-feira (1º), a vítima, que era conhecida na vila por suas esporádicas aparições em busca de crack, foi vista correndo em desespero pelas vielas de terra e saltando por cima de córregos. Atrás dele, estava um homem magro, de aproximadamente 1,70 metro, com o rosto coberto por uma balaclava e de arma na mão.

Paçoca tentou entrar numa pequena residência, mas foi baleado duas vezes e tombou na porta da moradia. O homem que mora na casa estava trabalhando em uma construção nas proximidades e foi avisado que tinham matado alguém em sua porta. “Já tinha visto esse rapaz aqui na vila, mas sei que era morador do Jardim Ipiranga. Aparecia para comprar drogas e ia embora. Mudei para esse local faz três meses e este é o primeiro morto que vejo, justo na entrada da minha casa”, disse Jefferson.

Investigação

Investigadores da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) conversaram com alguns moradores em busca de pistas do assassino, que segundo testemunhas, deixou a favela a pé. Segundo PMs que trabalham na região, Paçoca foi morto em algum tipo de acerto de contas.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook