Foto: Alberto Melnechuky

Edmur, pela droga, foi ao encontro da morte.

A loucura pela droga fez com que Edmur da Luz Padilha, 30 anos, não levasse em consideração as agressões e ameaças de mortes sofrida há poucos dias. Por volta de 22h30 de quinta-feira, a promessa foi cumprida e ele foi morto com vários tiros, pelas costas, de uma pistola ponto 40, na Rua Páscoa Maria Ancai, na Vila Nossa Senhora da Luz. Os familiares e vizinhos sabem o nome do assassino, mas ninguém fala nada, com medo de represálias.

Segundo Saline da Luz, tia de Edmur, ele era viciado em crack há mais de dois anos. Durante esse tempo, a família tentou resgatá-lo das drogas, mas o vício foi mais forte e resultou no envolvimento do rapaz com os traficantes e a criminalidade. ?Na semana passada ele chegou machucado, a gente fez curativos e ele ficou em casa uns dias, com medo de ser morto. Ele contou que tinha sido ameaçado?, disse a tia. Segundo ela, implorou para que ele continuasse em casa, afinal já tinha conseguido ficar alguns dias sem usar drogas. ?A necessidade de fumar era tanta que ele esqueceu as ameaças e voltou pra rua?, alegou. Edmur era letrista (pintor de muros), solteiro e morava nos fundos da casa dos avós.