A necessidade de realizar ronda durante a madrugada para verificar eventuais falhas no sistema de monitoramento, levou o supervisor de uma empresa de vigilância a encontrar um companheiro de trabalho assassinado. O homem achou estranho o fato do portão de uma empresa, situada na Rua Zilah Wallbach Prestes, Jardim Pinheiro, estar completamente aberto, e resolveu verificar. Como a vidraça da guarita havia sido quebrada e o vigilante não estava em seu posto, o supervisor achou melhor acionar a Polícia Militar. Por volta das 5h, ao entrarem no escritório da empresa, o corpo de Marcos Vander Araújo, 33 anos, foi encontrado. Ele estava amordaçado e com os pés e braços amarrados com fita adesiva. Foi morto através de golpes de uma barra de ferro.

Invasão

Não foi possível apurar de que modo os assaltantes entraram no local. Presume-se que atraíram o vigilante para fora e o renderam. Em seguida, levaram-no até o escritório onde ocorreu o assassinato. Do local, os marginais tentaram levar um cofre, mas ele foi abandonado ainda dentro do terreno da empresa, intacto. O cofre não foi aberto e, devido ao seu peso, os ladrões não conseguiram carregá-lo.

Os únicos objetos roubados eram pertencentes ao vigilante. Por causa da carteira, do telefone celular e de um revólver, o vigilante perdeu a vida.

O latrocínio (roubo seguido de morte) vai ser investigado pela Delegacia de Furtos e Roubos.