Foto: Aliocha Maurício

Cristiane teria ?encrenca? com Marlene, a ?chefona? da região.

A seqüência de mortes por disputa de tráfico de drogas no Xapinhal, Sítio Cercado, continua. Na noite de ontem, Cristiane Oliveira, 26 anos, foi morta com vários tiros em uma casa na Rua Francisco José Lobo, mesmo local onde, há 10 dias, Fernando Antônio Rodrigues Rigoni, 27, foi executado. A morte de Fernando teria motivado o assassinato, no dia seguinte, de Josué Neri, o ?Pelé?, e de seu sobrinho Alexsandro Rocha Farias Filho, 7 anos.

Segundo uma testemunha, a responsável pela matança é uma mulher conhecida por Margarete, que seria a ?chefona? do tráfico na região. ?Ela matou o Fernando, matou o Pelé, o menininho e agora, matou também a Cristiane?, afirmou. A testemunha relatou que estava na rua quando viu Margarete, junto com dois homens. ?Eles entraram e ela ficou no portão gritando para eles atirarem na cabeça. Um deles é o Moisés, que era amigo da Cristiane?, detalhou.

Luta

Os investigadores Pimentel e Castro, da Delegacia de Homicídios, disseram que houve confusão e luta corporal. ?O local onde Cristiane foi morta é uma mistura de depósito de recicláveis e oficina mecânica, no entanto, está tudo muito bagunçado?, explicou Pimentel. Ele disse também que, no Xapinhal, a disputa por ponto de drogas é o motivo de tantas mortes. ?Margarete já é investigada. Logo depois das mortes da semana passada, ela ficou uns dias no Parolin, esperando a poeira baixar, e agora voltou para completar o extermínio.?

Margarete seria a fornecedora de drogas na região do Xapinhal, enquanto Cristiane, Fernando e ?Pelé? seriam responsáveis pelo contato direto com os usuários. ?Pelo que eu sei, o Fernando e o Pelé eram amigos, e foi ela que mandou matar, tudo porque estava se sentindo ameaçada. Ela sabia que eles estavam ganhando bastante dinheiro e mesmo assim ficavam devendo pra ela?, explicou uma mulher, que preferiu não se identificar.

Cristiane era solteira, tinha duas filhas, de 4 e 9 anos e usava droga desde os 16 anos. ?Eu já tinha avisado que isso ia acontecer. Quem sem mete com essa gente acaba no caixão?, contou a mãe de Cristiane.

Relação suspeita

Não muito longe do Xapinhal, um crime pode estar relacionado com as mortes do tráfico no Sítio Cercado. Na sexta-feira, Benedito Marques da Silva, proprietário do Bar do Baixinho, na Rua Jornalista Kalil Simão, na Vila Horizonte, também no Sítio Cercado, foi executado com vários tiros.

Um cliente que estava no bar na hora do crime disse que conhecia pouco a vítima, mas sabia que ele teve um bar no Xapinhal. Segundo informações não confirmadas, esse bar seria o do ?Pelé?, com quem ele teria parentesco.