Com aumento de quase 70% na quantidade dos afastamentos de professores devido a transtornos mentais como ansiedade e depressão em 2021, a Secretaria de Educação do Paraná (Seed) decidiu oferecer atendimento psicológico e psiquiátrico gratuito para todos os profissionais da rede.

O atendimento psicológico será disponibilizado até o fim deste mês por meio de um aplicativo de celular — chamado Bem Cuidar — e deverá ser estendido aos alunos a partir do segundo semestre. “É o suporte que estávamos precisando”, afirma a professora Silvana Garcia André.

+ Leia mais: “Nessa hora, só foi Deus pra acalmar”, diz jornalista sequestrado em Curitiba

Diretora do Núcleo Regional de Educação de Foz do Iguaçu, ela percebeu como a pandemia afetou a comunidade escolar e trouxe mudanças preocupantes à sala de aula.  “Os professores passaram a lidar com crises de ansiedade dos estudantes, choro coletivo, situações de automutilação”, lamenta a educadora, ao afirmar que, para muitos funcionários, “esse contexto tem sido bem difícil”.

O resultado, de acordo com a Seed, é que a média de afastamentos de colaboradores devido a transtornos mentais e comportamentais aumentou cerca de 70%, pulando de 534 casos mensais em 2020 para 913 no ano seguinte. “Algo que precisava de uma solução urgente”, explica a chefe de Recursos Humanos da secretaria, Taciana Fenili de Santana.

Por isso, a secretaria avaliou os dados e decidiu disponibilizar profissionais da área de psicologia e psiquiatria para atendimento psicológico gratuito dos funcionários. “Como as teleconsultas deram certo durante a pandemia, vamos seguir esse modelo”, relata, ao explicar que as sessões online serão realizadas por 20 psicólogos e quatro médicos psiquiatras selecionados pela Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Como utilizar o serviço

Para agendar uma consulta, basta que o funcionário baixe o aplicativo Bem Cuidar no smartphone, faça um rápido cadastro e solicite atendimento com o psicólogo disponível. “A sessão pode ocorrer em até uma semana e, durante a sessão, o profissional deixará agendado o próximo encontro”, explica Taciana. “Lembrando que o paciente também pode ser encaminhado para o psiquiatra, se houver necessidade”.

+ Veja também: Teto apodrecido e choques no banho: hotel social de Curitiba vira alvo de reclamações

O objetivo, segundo ela, é que os colaboradores busquem ajuda profissional de forma simples e rápida quando precisarem conversar a respeito de questões difíceis do dia a dia. “Isso evitará problemas mais graves, reduzirá o número de afastamentos e trará mais qualidade de ensino aos alunos, pois o professor estará se sentindo bem e conseguirá trabalhar melhor”.

Primeiros testes

Os primeiros resultados apareceram durante os testes do aplicativo realizados no mês de maio com colaboradores dos núcleos regionais de Foz do Iguaçu, Toledo, Irati, Francisco Beltrão e Paranaguá. De acordo com a Seed, vários colaboradores dessas regiões acessaram o app nas últimas semanas, realizaram consultas e elogiaram o atendimento. “Agora, estamos abrindo o acesso para novas regionais a cada semana, e nossa expectativa é atender os 80 mil funcionários dos 32 núcleos no estado até dia 20”, adianta a chefe de RH.

Além disso, ela informa que o aplicativo deve receber ajustes e novas funções nos próximos meses, oferecendo outros benefícios aos usuários, como dicas de exercícios e nutrição. Sem contar que “nossa ideia é estender o app para um milhão de alunos distribuídos nos 399 municípios do estado”, afirma Taciana, acrescentando que esse cuidado emocional com professores e alunos será essencial para melhorar o dia a dia em sala de aula. “Sem dúvida, é um amparo emocional que eles estão precisando”.

Whatsapp da Tribuna do Paraná
RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.