“Minha vida é um pouco diferente. Trabalho como médico, mas realizando consultoria. Eu trabalho abrangendo todas as partes envolvidas na saúde e a intenção é melhorar a qualidade de atendimento aos pacientes”, contou o médico Fernando Carbonieri, 33 anos, formado há quatro anos e especializado em inovação em negócios de saúde e medicina futurista, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC).

Leia mais: Quer emagrecer? Conheça nove alimentos que ajudam a perder peso!

Hoje é comemorado o Dia do Médico e fugindo do estereótipo de que esse profissional sempre utiliza branco e estetoscópio, Carbonieri desenvolve a medicina de outra forma. Mas como? Atualmente o doutor aplica as novas tecnologias proporcionadas pela evolução aos outros colegas médicos, para que eles desenvolvam seu trabalho de forma melhor. Seu objetivo é criar soluções inovadoras para que a saúde melhore e para que, principalmente, o paciente se sinta mais confortável na hora de ir a uma consulta. Resumindo, é fazer com que os profissionais realizem um atendimento mais confortável a esses pacientes, já que muitas vezes ao chegarmos a um consultório médico sentimos falta de um atendimento melhor e mais humanizado. O famoso ‘olho no olho‘, algo que era proporcionado na medicina mais antiga.

“Nós ouvimos todas as partes envolvidas na saúde, para que entregue valor e segurança ao paciente. A busca por essa inovação é baseada em conceito de serviços, onde você tenta validar com os profissionais que atendem pessoas e junto com esses pacientes achar o que elas esperam disso. Já que as pessoas demandam mais do que um médico que simplesmente instruem, essas pessoas demandam entendimento e precisam ser o foco o centro das atenções do médico”, reforçou.

Para mudar isso é preciso buscar maneiras inovadoras de incorporar esse paciente na atenção da saúde médica. Segundo o especialista é preciso incluir eles – pacientes – nas tomadas de decisões, fazer com que ele saiba escolher o que é melhor para ele, através de informações que o médico repassa. Além disso, Carbonieri trabalha com a medicina futurista, que é fazer com que o médico consiga informar o paciente de forma diferente, já que hoje os pacientes se informam através de outras diversas outras redes.