O Departamento de Vigilância em Saúde de Pinhais alerta sobre o aumento no número de casos de esporotricose. O nome é diferente, mas trata-se de uma micose causada pelo fungo da espécie Sporothrix schenckii. O fungo habita a natureza e está presente no solo, palha, vegetais, espinhos e madeira. A doença pode afetar tanto seres humanos quanto animais, principalmente o gato. 

+ Veja essa: Beber água demais pode trazer graves consequências. Conheça a potomania!

Em Pinhais, houve um aumento dos casos registrados em 2021, foram 14 em contraponto de dois registrados em 2019 e dois em 2018. Neste ano, um caso já foi notificado. Se notar alguma lesão na pele ou na do gato, entre em contato com a Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental, pelos telefones (41) 3912-5330 / 3912-5331.

– O QUE É? Infecção crônica da pele causada por fungo.

– COMO TRANSMITE? O gato e os seres humanos podem adquirir por meio do contato com plantas ou solos infectados e por meio de mordedura, arranhadura e contato direto com gatos infectados.

– SINTOMAS? Pequenas lesões na pele que podem evoluir e se tornarem profundas e progredir para todo o corpo, seguido de febre, dor nas articulações e outros sinais variáveis para cada sistema imunológico.

– TEM TRATAMENTO? Sim, tem cura, desde que seja diagnosticada e tratada antes de sua completa evolução.

– O QUE DEVO FAZER? A principal medida de prevenção e controle a ser tomada é evitar a exposição direta ao fungo. Para evitar a contaminação é importante não deixar o gato ter acesso à rua. Se o animal de estimação apresentar a doença, deve ser isolado e receber o tratamento indicado pelo médico veterinário.