A Síndrome do Gatilho da Hiperidrose é o conjunto de reações psicológicas decorrentes da hiperidrose genética, gerador de ansiedade manifestado com o estresse emocional. Hiperidrose é definida como sudorese que ultrapassa a necessidade da termoregulação (controle da temperatura corporal).

O estresse provoca uma série de problemas de saúde, e pode também complicar algumas situações existentes. A hiperidrose, ou suor excessivo, pode se agravar em indivíduos sob estresse.

Segundo o cirurgião torácico Marcos Chesi, especialista na doença, a hiperidrose ao longo dos anos acaba gerando uma tensão emocional e que realimenta o processo em um círculo vicioso, em que alterações hormonais começam a se intensificar, tornando o convívio com a hiperidrose uma condição difícil para muitos.

A doença pode também ocorrer sem que tenha acontecido qualquer alteração emocional, e até mesmo sem qualquer motivo aparente. Pacientes relatam grande constrangimento por passar a imagem de descontrole emocional, quando, na realidade, não têm nenhum controle sobre o sintoma da hiperidrose.

“Em algumas pessoas aparece em baixas temperaturas ambientais e em outras em altas temperaturas. Para muitos surge em situações estressantes, para outros são o motivo do estresse”, afirma, explicando que não há também correlação entre o suor e a temperatura corporal.

Alguns pacientes relatam que passaram a apresentar hiperidrose quando submetidos a responsabilidades maiores, geralmente profissionais. Há também quem tenha desenvolvido a condição durante períodos de maior instabilidade emocional, como a adolescência ou em momento de problemas familiares, conjugais ou econômicos.

Chesi explica que nesses casos, as pessoas já apresentavam a hiperidrose, mas com o estresse emocional a doença acabou se manifestando. Ele chama essa situação de Síndrome do Gatilho da Hiperidrose, que nada mais é do que as reações decorrentes da hiperidrose genética, mas que se manifesta com a condição de estresse.