Depois de quatro internações de lactentes (bebês com menos de seis meses de idade) com um óbito, após o consumo de algumas fórmulas infantis, tais produtos estão sendo recolhidos em uma ação que se tornou internacional. 

LEIA TAMBÉM – Queda na cobertura vacinal básica liga alerta para volta de doenças já erradicadas no Paraná

No Brasil, a Anvisa informa o recolhimento internacional das fórmulas infantis das marcas Human Milk Fortifier, Similac PM 60/40, Similac, Alimentum e EleCare

Os produtos sob recolhimento têm um número de vários dígitos na parte inferior da embalagem, começando com os dois primeiros dígitos entre 22 e 37, contendo K8, SH ou Z2, e têm como data de validade 1º de abril de 2022 ou data posterior. 

Recentemente, a Abbott Brasil informou que foram incluídos mais produtos na lista do alerta internacional (Human Milk Fortifier, Similac PM 60/40).

O recolhimento ocorre após a Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos, iniciar uma investigação sobre aquelas internações e óbitos.

Alerta internacional

A agência brasileira recebeu um alerta internacional sobre o início do recolhimento voluntário de fórmulas infantis em pó das marcas Human Milk Fortifier, Similac PM 60/40, Similac, Alimentum e EleCare, da empresa Abbott Nutrition, fabricados na planta de produção de Sturgis, no estado norte-americano de Michigan.

E apesar de o alerta internacional ter indicado que houve distribuição do produto Similac para o Brasil, a representante da Abbott Nutrition no Brasil informa que não houve importação dos produtos que estão sendo recolhidos. 

VEJA MAIS – Greca pode decretar fim do uso de máscara no aniversário de Curitiba

Três dos bebês apresentaram infecção por Cronobacter sakazakii e um por Salmonella Newport.  As descobertas da FDA, até o momento, incluem vários resultados positivos de Cronobacter em amostras ambientais colhidas nas instalações da Abbott Nutrition localizadas na cidade de Sturgis, nos Estados Unidos.

Além disso, uma revisão dos registros internos da Abbott também indica contaminação ambiental com Cronobacter sakazakii e a destruição do produto devido à presença dessa bactéria, de acordo com o alerta da FDA.

A empresa afirma que, em análises laboratoriais, não detectou essas bactérias no produto e que o recolhimento seria preventivo. 

O alerta foi realizado por meio da Rede Internacional de Autoridades de Segurança Alimentar (Rede Infosan) e está aqui disponível.

Como reconhecer os produtos recolhidos

Confira na ilustração abaixo como consultar a numeração dos lotes:

A empresa norte-americana informou inicialmente que o recolhimento dos produtos ocorreria nos seguintes países de distribuição, além dos Estados Unidos: Austrália, Bahrein, Barbados, Bermudas, Canadá, Chile, China, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, Equador, Egito, Guam, Guatemala, Hong Kong, Índia, Indonésia, Israel, Jordânia, Kuwait, Líbano, Malásia, México, Nova Zelândia, Omã, Peru, Porto Rico, Qatar, Arábia Saudita, Cingapura, África do Sul, Sudão, Taiwan, Tailândia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Vietnã. 

VIU ESSA? Vacina da gripe: por que é preciso tomar todos os anos? Vacinação de 2022 começa em 4 de abril

Em recente atualização, o Brasil passou a integrar a lista de países com possível distribuição dos produtos em questão, sob responsabilidade da Abbott Laboratórios do Brasil Ltda. 

Assim, a Anvisa publicou uma medida preventiva, por meio da Resolução RE 682, de 3 de março de 2022, proibindo a importação, a comercialização, a distribuição, a propaganda e o uso das fórmulas infantis em pó das marcas Human Milk Fortifier, Similac PM 60/40, Similac, Alimentum e EleCare, da Abbott Nutrition, que apresentem em suas rotulagens ou embalagens os seguintes códigos: os dois primeiros dígitos do código entre 22 e 37, contendo K8, SH ou Z2, tendo como data de validade 1º/4/2022 ou data posterior.

Ao mesmo tempo, a Agência abriu um processo investigativo junto à importadora Abbott Laboratórios do Brasil Ltda., de forma a identificar os lotes específicos dos produtos que foram comercializados pela empresa em território nacional, e tão logo receba as informações da empresa irá adotar as medidas pertinentes para a ampla divulgação dos alertas necessários à retirada dos produtos no mercado brasileiro.

Regularidade no Brasil

Fórmulas infantis são classificadas como alimentos que necessitam de registro na Anvisa previamente à sua comercialização ou importação. O rótulo do produto deve informar o número de registro do produto na Agência.  

O consumidor deve ficar atento e adquirir somente produtos com procedência conhecida. Para confirmar o registro do produto, a sugestão é consultar a base de dados disponível no portal da Anvisa.

Recomenda-se também que os consumidores evitem comprar fórmulas infantis importadas por meio de comércio eletrônico, devido à dificuldade em conhecer a origem e a regularidade do produto. 

LEIA TAMBÉM – Dormir mal e pouco engorda? Entenda como o sono influencia o ganho de peso

Atualmente, a única fórmula infantil registrada na Anvisa pela Abbott Laboratórios do Brasil Ltda. é a FÓRMULA INFANTIL PARA LACTENTES E DE SEGUIMENTO PARA LACTENTES, marca Similac Sensitive, registro 4.7432.0345. 

As marcas dos produtos em recolhimento voluntário não foram regularizadas no Brasil, exceto a Alimentum, cujo registro foi cancelado em março de 2017.

O que fazer se encontrar um produto objeto do recolhimento?

Se você utiliza produtos da marca Human Milk Fortifier, Similac PM 60/40, Similac, Alimentum ou EleCare, orienta-se que seja verificado o lote impresso no rótulo do produto. Se o produto pertencer a um dos lotes recolhidos, recomenda-se não usá-lo ou oferecê-lo para o consumo por bebês, além de entrar em contato com a Abbott Laboratórios do Brasil Ltda., pelo telefone 08008912690 ou pelo e-mail nutricaobrasil@abbott.com, para receber orientações de como fazer a devolução do produto.

Orientações importantes

Somente use fórmulas infantis com orientação de um profissional de saúde habilitado, como médico pediatra ou nutricionista. O Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendam o aleitamento materno até os dois anos de idade ou mais e de maneira exclusiva até os seis meses de vida. 

Leia todas as instruções de preparação presentes no rótulo. A correta higienização de utensílios que entram em contato com a fórmula, como mamadeiras, copos e colheres, é fundamental para garantir a segurança do produto.  

Além disso, deve-se sempre realizar a diluição na quantidade adequada e na temperatura segura (70ºC), que garante o menor risco de contaminação por microrganismos perigosos, como bactérias do gênero Cronobacter e Salmonella.

Pantanal

Juma atira nos pés de Jove

Loterias

Veja o resultado das loterias desta terça-feira!

Inverno Chegou

Veja como será o primeiro dia de inverno em Curitiba

Além da Ilusão

Lorenzo declara seu amor por Letícia