A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta segunda-feira a comercialização de um novo medicamento para quem sofre de diabetes. O Afrezza é uma insulina de ação rápida e seu grande diferencial é ser inalável e não injetável. O medicamento já é comercializado nos Estados Unidos desde 2015 e estará em todas as farmácias do Brasil até setembro deste ano após o registro de preços pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). 

O medicamento deve ser administrado antes das refeições e proporciona um melhor controle glicêmico em pacientes adultos com diabetes mellitus. “A aprovação regulatória do produto no Brasil é um marco importante para a MannKind e para a nossa parceira Biomm, após anos de pesquisa clínica e comprometimento que impulsionaram o desenvolvimento dessa terapia exclusiva. Agradecemos aos mais de 6.500 pacientes adultos e voluntários saudáveis que participaram da pesquisa clínica da Afrezza”, diz Michael Castagna, diretor executivo da MannKind Corporation.

Mini inalador utilizado para administração do novo medicamento. Foto: Divulgação
Mini inalador utilizado para administração do novo medicamento. Foto: Divulgação

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

O Afrezza é fornecido com um inalador pequeno, discreto e fácil de usar, sendo usado no início da refeição. O medicamento se dissolve rapidamente após a inalação para o pulmão e atinge imediatamente a corrente sanguínea. Os níveis máximos de insulina são alcançados entre 12 a 15 minutos após a administração e declinam em aproximadamente 180 minutos. O produto apresenta dados clínicos relevantes que demonstram eficácia na redução e segurança glicêmica.

Além disso, o Afrezza tem, dentre todas as insulinas disponíveis no mercado, o perfil de ação que mais se assemelha à insulina fisiológica, já que a via de absorção (pulmão) e forma (monômeros de insulina) permitem a absorção e a ação da insulina mais rapidamente do que todas as outras opções disponíveis no mercado.

“A insulina foi descoberta em 1921 e hoje, quase cem anos depois, temos a Afrezza, única opção do mercado que não é injetável. Estamos empolgados por possibilitar que os pacientes brasileiros tenham acesso a este medicamento inovador, pois acreditamos que o perfil distinto e a administração inalável de Afrezza atenderão muitas demandas dos pacientes”, afirma Heraldo Marchezini, diretor-presidente da Biomm S/A. “Estamos orgulhosos de oferecer Afrezza ao mercado brasileiro”.

Atualmente, o diabetes mellitus afeta 425 milhões de pessoas no mundo, segundo a Federação Internacional de Diabetes (2017), sendo o Brasil a quarta maior população afetada. A diabetes mellitus é caracterizada pela incapacidade do organismo de controlar adequadamente os níveis de glicose no sangue. A insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas, normalmente regula os níveis de glicose do corpo, mas em pessoas com diabetes mellitus são produzidos níveis insuficientes de insulina ou o organismo não responde adequadamente à insulina que produz.

Vale salientar que Afrezza deve ser usado em combinação com uma insulina de ação prolongada em pacientes com diabetes mellitus tipo 1. O medicamento não é recomendado para o tratamento da cetoacidose diabética e nem para pacientes que fumam.