Mais de 40 mil mulheres recebem, anualmente, o diagnóstico de câncer de mama no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA). Para que a doença diminua, a prevenção – foco do Outubro Rosa – ainda é o melhor caminho. A alimentação saudável entra nessa lista, já que atualmente estudos comprovam que vários alimentos podem prevenir a doença e até mesmo auxiliar no tratamento dela.

Segundo a nutricionista Adriana Zadrozny, eles agem por mecanismos variados ‘por enfraquecerem o câncer, melhorarem nossas defesas naturais, ou mesmo obrigando a célula tumoral a se autodestruir. A alimentação anticâncer foca justamente nos alimentos mais apropriados para cada tipo de câncer, que sempre apresentará um comportamento específico, e terá fragilidades diferentes‘, alerta.

Os alimentos líderes na atividade antitumoral são: repolho roxo, rabanete, cebola, espinafre, escarola, salsa, frutas vermelhas, gengibre, canela, chá verde, chocolate com 70% de cacau, grãos integrais e peixes, como sardinha.

Mas também existem alimentos que agem de forma contrária e acabam fortalecendo o tumor, o tornando mais apto a disseminação, como: doces, carnes, leite não orgânico e industrializados. Mas vale lembrar que esses alimentos não causam câncer, mas se presentes na alimentação diária, podem promover um crescimento rápido e consistente, segundo a nutricionista.

Além disso, Adriana alerta que fazendo exames e procurando médicos, ainda é possível investir em alguns suplementos que podem ser utilizados nas prescrições nutricionais específicas. Como por exemplo, doses mais altas de vitamina D e gorduras do tipo ômega 3. Segundo ela, esses compostos têm mostrado resultados promissores tanto no tratamento quanto para evitar as temíveis metástases.

Nutricionista Adriana é um exemplo de superação. Foto: Gerson Klaina
Nutricionista Adriana é um exemplo de superação. Foto: Gerson Klaina

Exemplo de superação

A nutricionista Adriana também passou pelo câncer de mama e hoje usa sua profissão em prol das mulheres que desenvolveram a doença e também àquelas que têm predisposição genética. A história da Adri começou em agosto de 2010. O filho mais novo tinha recém-completado um ano quando ela descobriu um câncer. Naquele momento o “mundo caiu”, mas depois de 12 meses de tratamento, ela foi curada. O fruto que a doença rendeu foi um livro, o ‘Sobre viver‘, que conta a rotina de tratamento e todas as dúvidas que o câncer traz. O livro, escrito em forma de diário, você pode encontrar nas Livrarias Curitiba, por R$ 44, ou no site da editora Máquina de Escrever .