Inerente ao ser humano, o envelhecimento também é um processo que ocorre de maneira variada de acordo com cada indivíduo. O modo como vivenciará esta fase da vida estará ligado a sua trajetória e suas experiências.

Por isso, não tem como generalizar a velhice a partir de estereótipos negativos, que não representam todas as formas de se envelhecer, cita a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, que aponta alguns deles que não passam de mitos:

Quanto mais velho, menor a necessidade de sono

Mito. Com o envelhecimento, algumas pessoas podem ter mais dificuldade em iniciar ou manter o sono. Um equívoco comum é pensar que o sono precisa necessariamente reduzir com a idade. Pessoas idosas precisam da mesma quantidade de sono que adultos, de 7 a 9 horas por noite. O sono adequado traz inúmeros benefícios para a saúde!

Nesta fase não é preciso se exercitar

Mito. O sedentarismo é perigoso em qualquer idade. Para pessoas idosas, manter uma prática de atividade física regular é ainda mais importante. Previne doenças crônicas, quedas e fraturas, auxilia no tratamento da depressão, preserva a vitalidade, além de muitos outros benefícios. É um dos principais pilares para o envelhecimento saudável.

Pessoa idosa é sempre deprimida

Mito. A depressão é uma doença que atinge pessoas de diferentes idades. Por isso, nem toda pessoa idosa apresentará sintomas depressivos, inclusive muitos indivíduos mostram-se bastante otimistas e resilientes nesta fase de vida. A idade avançada traz inúmeros fatores de risco que aumentam a probabilidade da doença se desenvolver, como a solidão, as perdas, a limitação causada pelas doenças. Porém, esta não é uma condição inerente à idade.