O tradicional Caminho do Itupava vai ser reaberto neste sábado (16). A trilha, que faz parte do Parque Estadual Serra da Baitaca, não pôde ser liberada para visitação na semana passada, junto com outros atrativos Região Metropolitana de Curitiba, por conta das intensas chuvas que causaram queda de árvores no local. O espaço foi vistoriado, recebeu manutenção e já pode ser visitado.

LEIA TAMBÉM Parques estaduais do Paraná reabrem para turistas a partir deste final de semana

Apesar de reabrir, o Itupava vai estar com redução da capacidade, em 50%, por causa do coronavírus. A orientação é ligar antes para certificar-se da capacidade ou até mesmo agendar a presença. Além disso, é obrigatório cadastro, entrar pelas portarias oficiais, usar máscara e álcool em gel.

São permitidas somente atividades individuais, como caminhada, corrida e exercícios. Para evitar aglomerações, estão proibidos acampamentos, práticas esportivas coletivas e eventos dentro das Unidades de Conservação do Estado.

O horário de funcionamento das portarias é das 8h da às 17h. Para atividades fora desse horário, é preciso ligar e verificar a disponibilidade de entrada. As três Unidades de Conservação fecham apenas às terças-feiras para manutenção.

O Parque abriga três espaços para visitação: o Caminho do Itupava, com capacidade de 314 pessoas por dia para visitação; o Anhangava, com capacidade de 166 pessoas por dia; e o Pão de Loth, também com capacidade para 166 pessoas por dia.

Parque Estadual Pico do Marumbi. Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

No Pico do Paraná, não é permitido mais de 200 pessoas simultaneamente nas trilhas e o visitante só pode entrar conforme disponibilidade de vagas. Já no Marumbi, que também tem três atrativos, o Pico Marumbi, o Salto dos Macacos e Morro do Canal, a capacidade de visitação é de 100 pessoas por dia para cada atrativo.

Em todos os casos, o visitante deve entrar pelas bases do IAT. Para o acesso às trilhas do Morro do Canal, o acesso deve ser feito pela propriedade particular Morro do Canal.

Aos sábados, domingos e feriados, uma vez que seja feito o cadastro e a entrada esteja dentro da capacidade de carga definida para a trilha escolhida, o visitante deve receber uma pulseira de identificação. A pulseira deve ser colocada em local visível e ser carregada durante todo o tempo no interior da Unidade de Conservação.