A covid-19 ainda não é uma doença totalmente conhecida e sintomas prolongados, que podem interferir nas atividades diárias, estão sendo cada vez mais identificados. Quando os problemas de saúde persistem mesmo após 12 semanas da doença, a condição passa a ser conhecida como Covid longa ou Síndrome Pós-Covid.

Embora a tendência seja de que a condição amenize com o passar do tempo, o escritório europeu da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou uma atualização nas recomendações para quem, mesmo passada a Covid-19, ainda permanece com sintomas.

+Leia mais! Curitiba faz repescagem geral da vacina da covid-19 nesta quinta e sexta-feira

O guia oferece dicas práticas de como a pessoa pode, mesmo sozinha, administrar o mal estar, treinando a respiração ou introduzindo aos poucos uma atividade física mais leve, por exemplo. A entidade alerta ainda para os sintomas que não podem ser manejados em casa, mas que requerem cuidados médicos.

Há também um diário que as pessoas podem preencher e monitorar se houve melhora ou piora da condição de saúde, e buscar auxílio médico quando necessário. Confira abaixo os itens que constam neste diário, e como fazer o monitoramento.

Diário dos sintomas pós-Covid-19

Para cada sintoma listado abaixo, avalie em uma escala de 0 a 3, sendo que:

0 (zero): indica que o paciente não sente esse sintoma;
1: é um problema passageiro ou leve;
2: trata-se de um sintoma mais moderado;
3: é um sintoma severo, grave ou que afeta a vida da pessoa.

Também não se esqueça de marcar se o sintoma é novo, ou se já vem afetando há algum tempo. Dos sintomas listados pela OMS, estão:

*Você fica sem ar quando sobe um lance de escadas ou está se vestindo?

*Está com tosse, ou com a garganta sensível ou sente qualquer mudança na voz?

*Percebe alguma mudança nos sentidos olfato e paladar?

*Tem qualquer dificuldade em engolir alimentos sólidos ou líquidos?

*Sente-se cansado (fadiga) durante o dia?

*Sente uma piora nos sintomas entre seis a 24 horas após esforço físico ou mental?

*Sente dor (dor nas articulações / musculares / de cabeça ou dores abdominais)?

*Percebe um aumento no ritmo cardíaco (palpitação) durante um movimento ou atividade?

*Sente tontura durante um movimento ou atividade?

*Tem dificuldades com o sono?

*Tem problemas com a cognição (memória, concentração e planejamento)?

*Sente-se ansioso?

*Sente-se para baixo ou deprimido?

*Tem qualquer problema de comunicação (dificuldade em achar as palavras certas, por exemplo)?

*Problemas de mobilidade?

*Tem dificuldade em fazer atividades de cuidado pessoal, como tomar banho ou se vestir?

*Tem dificuldade em fazer outras atividades diárias, como limpeza da casa ou compras?

*Tem dificuldade em cuidar de outros familiares ou interagir com amigos?

A OMS indica que essa avaliação seja feita uma vez por semana para que o paciente consiga visualizar uma melhora ou piora na condição geral de saúde.

A cada semana, verifique quantos “0”, ou a ausência dos sintomas, e quantos “1”, “2” e “3” foram marcados ao lado de cada cenário. Se houver um crescimento nos sintomas com categoria “3”, isso indicaria uma piora no quadro geral, e pode ser uma boa hora de buscar atendimento médico.

Web Stories

Gigante!!

Nova Havan será quatro vezes maior que a loja que será abandonada em Curitiba

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz vai saber dizer!

Malhação Sonhos

Nat impede que Duca enfrente Lobão

Lindas!

Cinco árvores exóticas e raras de Curitiba