A iniciativa de uma construtora do Paraná tem ajudado famílias a ter uma renda extra para enfrentar a crise provocada pela pandemia de novo coronavírus, além de proteger os mais de 400 funcionários da empresa que trabalham nos canteiros de obras das cidades de Fazenda Rio Grande, Ponta Grossa e Londrina. Isso porque, familiares como mães e sogras dos colaboradores passaram a produzir máscaras artesanais que protegem contra a covid-19 e que estão sendo distribuídas nos empreendimentos da construtora.

LEIA MAIS – Greca pede pro povo ficar em casa, mas recomenda uso de máscara na rua e “libera” comércio

Uma das novas costureiras que está prestando serviços para a Construtora e Incorporadora Pride é a paranaense Maria Ferreira Campos, doméstica que teve seus serviços interrompidos pela pandemia. Mãe de uma adolescente de 15 anos, ela teme o momento atual e foi em busca de outras alternativas para garantir uma renda. “Temos muitas dúvidas. Eu mesmo estava com um mês de carteira assinada e agora estou em casa. Não sei o que vai acontecer daqui pra frente”, contou. Costureira por hobby há mais de cinco anos, viu na confecção de máscaras uma saída neste momento de crise.

LEIA AINDA – Como fazer máscara de tecido: 3 modelos simples para se proteger do coronavírus

Outra beneficiada pela contratação é Marli Santos, 58 anos, costureira, que também teve redução das atividades. “Meu marido é motorista de aplicativo e também está quase sem corrida. Esse trabalho para a Pride foi muito importante porque vai nos ajudar dentro de casa”, contou.

Corrente do bem

Genro de Maria, André Rampazzo, engenheiro civil e analista de qualidade da Construtora e Incorporadora Pride, enxergou em meio à crise a oportunidade de ajudar a sogra e de atender a uma demanda da empresa, que possui cinco canteiros de obras espalhados pelo Paraná. Assim surgiu a ideia de contratar os serviços de parentes de funcionários que foram demitidas durante a pandemia, como explica sócio da Pride Engenharia, Janderson Hellman. .

LEIA TAMBÉM – Coronavírus faz dobrar pedidos por alimentos na Fundação de Ação Social de Curitiba

“Algumas mães, sogras e conhecidas acabaram perdendo o emprego. Então a Pride decidiu fazer a contratação das pessoas que pudessem produzir máscaras para serem distribuídas em nossos canteiros proporcionando uma renda a essas famílias e a proteção aos colaboradores”, diz Hellman.

Proteção na obra

Foto: Divulgação

Segundo a empresa, mais de 600 máscaras estão sendo distribuídas em locais que contam com empreendimentos da Pride. “Temos que garantir o bem-estar dos colaboradores que estão nas obras. Cada um recebeu duas unidades laváveis e todos estão sendo orientados de como devem proceder para o uso”, ressaltou Valdemar Radzinski.

VIU ESSA? – Ratinho Jr reduz o próprio salário e da cúpula do governo durante pandemia

O pedreiro João Mailson recebeu suas máscaras na última segunda-feira (13). Segundo ele, a ação é muito importante para manter a saúde dele e de toda a família. “ Moro no mesmo terreno que a minha mãe, que tem 77 anos. Querendo ou não, tenho que dar uma passadinha pra dar um oi quando chego do trabalho. Assim, estou cuidando da minha saúde e principalmente, zelando pela saúde dela,” enfatizou.

Além da distribuição das máscaras a empresa está adotando outras medidas de combate e prevenção ao novo coronavírus, como retirada de pessoas consideradas de grupo de risco – acima de 55 anos, com doenças respiratórias anteriores, que utilizavam transporte público. Também está disponibilizando álcool em gel em diversos pontos das obras, nas portarias de entradas, almoxarifados e escritórios de engenharia. Na hora do almoço, é feita a separação das mesas dos colaboradores e houve até um aumento dos períodos de folga destinados à esta refeição.