Após um hiato de 11 anos, a banda Terminal Guadalupe está de volta. Com nova formação, o grupo lançou nesta quinta-feira (31) o single “¿Qué Pasa, Cabrón?”, gravada em espanhol e considerado pelos próprios integrantes um mantra punk em ritmo de cúmbia (ritmo típico da Colômbia).

Sem gravar e se apresentar desde 2009, o vocalista Dary Esteves Jr, o guitarrista Allan Yokohama e o baterista Fabiano Ferronato se juntaram ao baixista Marcelo Caldas para gravar o álbum “Agora e Sempre”, com previsão de lançamento para junho. O trabalho é produzido por Iuri Freiberger (Tom Bloch, Frank Jorge, Selvagens à Procura de Lei) e Allan Yokohama, que além da guitarra do TG é o responsável pelo violão, teclado e voz.

“Trazer o Terminal Guadalupe de volta foi uma imposição do momento. Estávamos confinados quando Allan me chamou para gravar um disco novo. A situação de abandono e desalento do país se encarregou do restante. Os outros músicos foram embora daqui em busca de melhores condições de vida. Como eu fiquei, achei que fosse necessário observar a rotina do nosso povo. A banda concordou e cá estamos, mais uma vez, examinando as coisas com algum humor, muita acidez e até esperança”, disse Dary Jr. à Tribuna.

“A música chama as coisas pelo nome e com alguma ironia, no embalo de um ritmo alegre, para falar da nossa tragédia”, conta Dary Jr. “Lançar o single justamente na data em que maus militares celebram um golpe contra a democracia é simbólico”, completa. O dia 31 de março divide com 1º de abril a titularidade do “Dia do Golpe Militar” no Brasil, que em 1964 instituiu a ditadura militar no país.

A pré-produção e as gravações de “¿Qué Pasa, Cabrón?” foram realizadas em diferentes cidades: Curitiba, no Brasil, onde mora Dary; Vila do Bispo, lar de Allan, e Lisboa, onde vive Marcelo, em Portugal; e Berlim, na Alemanha, onde Fabiano morava antes de ir para Frankfurt.

Lá se vão 15 anos do álbum “A Marcha dos Invisíveis” (Independente, 2007), aclamado pela crítica, que levou a banda Terminal Guadalupe aos principais festivais do país, às rádios e às paradas de videoclipes.

Mesmo sem lançar disco há tanto tempo, o grupo manteve uma base fiel e prepara turnê durante europeia para conquistar novos públicos com canções politizadas e intensas em português, espanhol, inglês e italiano.

Ficha Técnica

“¿Qué Pasa, Cabrón?”

Gravado nos estúdios 13Hybrid (bateria e vocais), em Lisboa, e Arnica (voz principal), em Curitiba, e nas casas dos músicos, entre 2021 e 2022.

Produzido por Iuri Freiberger e Allan Yokohama.

Mixado e masterizado por Iuri Freiberger.

Participações de Rodrigo Lemos (teclados) e Iuri Freiberger (percussão digital). A arte da capa é de Pietro Domiciano. Saiba mais sobre a Terminal Guadalupe no Instagram da banda.

Ouça o lançamento da Terminal Guadalupe!

Letra

“¿Qué Pasa, Cabrón?”

Letra e música: Dary Jr.

El teniente, bandolero
Pueblo enfermo, sin dinero
¿Qué pasa, cabrón?
¿Qué pasa, cabrón?

Una broma mundial
Genocida pasional
¿Qué pasa, cabrón?

Dime cómo vivir
Lo sabes no hay donde ir
Prepárate, mi corazón

¿Qué pasa, cabrón?
¿Qué pasa, cabrón?
¿Qué pasa, cabrón?

>>> Você pode baixar “¿Qué Pasa, Cabrón?” em várias plataformas de streaming. Acesse e confira!

Whatsapp da Tribuna do Paraná
RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba as notícias do seu bairro e do seu time pelo WhatsApp.