Alvo de sentimentos ambíguos para alguns casais, nesta quarta (28) é comemorado o dia da sogra. Quem melhor do que a sogra para colecionar histórias divertidas e controversas? Foi justamente essa relação muito própria, de nora e sogra, que se deu origem a um dos docinhos mais conhecidos das festas de aniversário brasileiras: o olho de sogra.

O doce — que nada mais é do que uma ameixa seca cortada ao meio recheada com um beijinho — não tem uma história bem definida, mas é envolvido em diversas lendas, segundo a doutora em história da gastronomia da Universidade Positivo, Solange Demeterco. Ela explica que a origem mais provável aconteceu há mais de um século, no hábito que as mães e avós dos maridos tinham de passar seus conhecimentos culinários à nora. Nem sempre fiéis à realidade.

“Conversei com muitas senhoras que chegaram à fase adulta nos anos de 1930 a 1950, e elas falaram muito da dificuldade que era lidar com a sogra, que partia sempre da premissa de que o filho estava mal atendido pela nora. Muitas vezes, essas sogras da época ensinavam a receita com alguma coisa errada apenas para valorizar seu próprio conhecimento e dizer ‘viu, só eu sei fazer isso’”, conta.

Foi daí que uma nora fez uma brincadeira colocando uma ameixa cortada ao meio como se fosse o olho da sogra observando o preparo do doce. Há ainda, segundo Solange, a possibilidade de que seria um “olho de cobra”, em relação à dificuldade de ter um bom relacionamento.

Aprenda a fazer o olho de sogra

O olho de sogra divide com o brigadeiro, beijinho e cajuzinho o posto de docinhos mais tradicionais das festas brasileiras. “A confeitaria brasileira tem a sua base nos doces conventuais portugueses, com a tradição de usar muito açúcar e gemas de ovos nos preparos”, afirma a doutora em história da gastronomia.

O chef confeiteiro Gilberto Santos da Rosa, da Panificadora Saint Georges, de Curitiba, conta que o doce ganhou versões como espelhado caramelizado e bombom (coberto com uma fina cobertura de chocolate). Ele ensina a preparar o tradicional olho de sogra. O preparo rende, em média, 20 docinhos.

Receita do doce Olho de Sogra

*Por Gilberto Santos da Rosa, chef confeiteiro da Panificadora Saint Georges

Rendimento 20 unidades

Ingredientes
1 caixa de leite condensado (395ml)
100 gramas de creme de leite sem soro
100 gramas de coco fresco ralado
10 unidades de ameixas secas sem caroço cortadas ao meio
50 gramas de açúcar cristal

– Em uma panela, misture o leite condensado, o creme de leite e o coco ralado e deixe cozinhar em fogo médio por 15 a 20 minutos até começar a soltar do fundo.
– Apague a chama e deixe esfriar até o ponto de pasta para enrolar com as mãos.
– Para acelerar o processo, é possível colocá-lo na geladeira coberto com plástico filme.
– Depois basta enrolar a massa em pequenas bolinhas um pouco maiores que as meias ameixas, passe no açúcar cristal e coloque a fruta em cima.